OS INTELECTUAIS EM PORTUGAL NA IDADE MÉDIA


Suportada numa investigação rigorosa, mas escrita a pensar no público geral, esta é uma obra que nos dá um bom enquadramento sobre a cultura na época medieval. O livro está muito bem organizado. Numa primeira parte, temos uma divisão entre a Alta Idade Média, um período marcado pelo monopólio cultural da Igreja, e a Baixa Idade Média, onde encontramos uma transição gradual da cultura para o mundo dos laicos, tendo em conta o impacto de acontecimentos como a Peste Negra, o Humanismo e os Descobrimentos. Em ambos os casos, o autor dá uma perspetiva geral europeia e o caso português. A segunda parte do livro corresponde à biografia de cinco vultos da intelectualidade portuguesa, Santo António e o Papa João XXI (Alta Idade Média), Fernão Lopes, D. Duarte e Gil Vicente (Baixa Idade Média).

Assim sendo, este é um livro que traça o perfil da cultura e da intelectualidade no Portugal medieval. Onde, como e o que se ensinava, que livros faziam parte das bibliotecas dos intelectuais, qual era o percurso de carreira dos mesmos, entre outros aspetos bem interessantes.

Armando Norte

A Esfera dos Livros | Saiba mais aqui


O EQUILÍBRIO DO PODER



Daron Acemoglu e James A. Robinson, partem do conceito de liberdade de John Locke, para demonstrarem como a liberdade ao longo da história é excecional e mantê-la exige um esforço coletivo muito grande. Para tal, desenvolvem uma teoria, onde a liberdade surge num Estreito Corredor, que implica uma competição contínua entre o Estado e a sociedade. Estados despóticos e sociedades com uma prisão de normas inflexível, mantêm os países para fora do Corredor, e os países são atirados para fora do mesmo quando ocorrem desequilíbrios de poder. Por isso mesmo, a liberdade necessita de um Estado eficiente vigiado por uma sociedade mobilizada (Leviatã Algemado).

Ao longo do livro os autores apresentam e comparam inúmeros exemplos sobre as dinâmicas do poder, desde perspetivas históricas mais alargadas sobre como alguns Estados se desenvolveram (ou regrediram), a acontecimentos mais contidos no espaço e no tempo, que em conjunto permitem aos autores construir em cima da teoria. As conclusões são várias e mostram que não é espetável que a  maioria dos países se desloque para o mesmo tipo de sistema político e económico.

Daron Acemoglu e James A. Robinson

Temas e Debates | Saiba mais aqui


VÍRUS, BACTÉRIAS E HUMANOS; Ciência e Histórias de uma Coabitação Atribulada


Luís M. Aires, Doutor em ciências biológicas, é um hábil comunicador de ciência e esta característica esta presente neste trabalho. Num livro que nos pode acompanhar para todo o lado, expõe uma relação que se tem desenvolvido ao longo de milhares de anos entre vírus, bactérias e humanos. 

Apesar de cobrir um espaço temporal amplo e abordar temas com alguma complexidade, o autor faz um bom compromisso entre a exposição clara de comportamentos biológicos dos micro-organismos, patologias associadas e o modo pelo qual o nosso sistema imunitária as contraria, com a descrição de como o conhecimento científico (e os protagonistas - não apenas os que ficaram associados às descobertas) e a tecnologia evoluíram para conferir vantagens aos humanos.

Sílabo | Saiba mais aqui

ANO 1000


Valerie Hansen, docente na Universidade de Yale, apresenta indícios convincentes para estimar o início da globalização bem antes do século XV. É um livro muito interessante para ficar a saber mais sobre as rotas comerciais e culturais desta época. Por exemplo, os artefatos encontrados em sepulturas de figuras proeminentes são testemunho da transferência tecnológica entre povos. Os exemplos são inúmeros e diversificados, sendo que cada capítulo foca uma área geográfica e os contatos entre povos, a circulação de mercadorias e de ideias que ocorreram nesse espaço.

Este é um período da história onde os encontros entre povos, ao contrário do que se passaria no século XV, ocorreram sem a existência de uma superioridade tecnológica evidente. O papel da conversão religiosa na unificação de território e o tráfico de escravos em larga escala são também acontecimentos chave neste processo de globalização por volta do ano 1000. 

Valerie Hansen

Ideias de Ler | Saiba mais aqui

APANHADOS PELO VÍRUS


A  par da pandemia vivemos uma infodemia. Tal como nos é dito, os instrumentos de manipulação de massas já estavam bem estabelecidos e em pleno uso antes da presente pandemia. O contributo de David Marçal e Carlos Fiolhais, com este livro conciso e esclarecedor, é fazer luz sobre a importância da credibilização científica. 

O livro está dividido em três momentos. No primeiro explicam os conceitos biológicos essências à compreensão da relação vírus-humano, ao mesmo tempo que descrevem a propagação do vírus no mundo e, em particular, em Portugal. A segunda parte é dedicada aos mitos e conspirações relacionadas com o surgimento da COVID-19, como por exemplo, a ameaça da rede 5G, tratamentos milagrosos e a desconfiança em relação à vacina. A literacia científica é mesmo muito importante e, portanto, o último capítulo diz respeito ao método científico e às contradições inerentes ao mesmo. Fornece as ferramentas necessárias para interpretar a informação que consumimos todos os dias. Neste sentido, muito importante é a lista de livros lançados em Portugal sobre a COVID-19, a maioria de qualidade e uns poucos, identificados pelos autores como pseudociência, a ser evitados.

Carlos Fiolhais e David Marçal

Gradiva | Saiba mais aqui

DEZ LIÇÕES PARA UM MUNDO PÓS-PANDEMIA

 


Dez Lições para um Mundo Pós-Pandemia não é um livro sobre a pandemia, mas a antecipação do mundo que vai resultar da mesma, as opções que temos pela frente e as possíveis consequências.  Esta previsão é feita através de uma perspetiva histórica e daquilo que já se pode observar no presente.

Fareed Zakaria, jornalista especializado em relações políticas internacionais e apresentador do interessante GPS, aborda, entre outros, a globalização, a revolução digital e as desigualdades num mundo bipolar. De acordo com o autor, o abuso da natureza foi um facilitador da presente pandemia, os Estados devem-se pautar pela qualidade e não pela quantidade, com uma abordagem mais flexível e eficiente. Nota também para o apelo ao diálogo entre os especialistas e os demais, e à importância de pensar o sentido da vida num mundo com menos trabalho.


Fareed Zakaria

Gradiva | Saiba mais aqui



UMA VIDA ADIADA


 

Neste livro ficamos a conhecer Dita Kraus, nascida em 1929, no seio de uma família judaica de Praga. A primeira parte do livro que se estende até 1942, recorda os anos de inocência da infância e a experiência dos judeus após a ocupação da antiga Checoslováquia. Após a vida no gueto, a segunda parte do livro corresponde ao tempo que passou em Auschwitz - onde mentir a Mengele lhe salvou a vida, os trabalhos forçados em Hamburgo e a economia paralela em Bergen-Belsen, até à libertação em 1945. A partir deste momento até ao presente, somos testemunhas de um percurso de vida impressionante. Destaque para a viagem para Israel e a vida num kibutz.

O discurso de Dita Kraus é sempre muito aberto e, acima de tudo, muito realista. É uma vida também muito ligada à cultura, e revela como esta esteve sempre presente mesmo nos períodos mais nefastos.


Dita Kraus

Saída de Emergência, Chancela Desassossego | Saiba mais aqui

CONTÁGIOS

 




Contágios é uma história das epidemias e as consequências das mesmas para as sociedades e cultura. Ao abordar, por exemplo, a Peste Negra que abalou a Europa Feudal, Jaime Nogueira Pinto, relata o surgimento de diversas seitas e movimentos. Podemos aprender como evoluíram os mecanismos para travar e prevenir surtos.

O autor recorre a obras de arte, testemunhos e à literatura para nos contar esta História. Shakespeare, terá escrito muitas obras em períodos em que os teatros estavam fechados, tal como hoje, devido à necessidade de isolamento social. A epidemia da tuberculose, entre outras, serviu como crítica ao capitalismo e inspirou escritores românticos.

Tal como é referido, as épocas de medo são sempre terreno fértil para as teorias da conspiração. 


Jaime Nogueira Pinto

D. Quixote, Leya | Saiba mais aqui


A PEQUENA IDADE DO GELO


 A Pequena Idade do Gelo é uma narrativa sobre como o clima moldou a História da Europa ao longo dos séculos, ao infligir as mais diversas provações às populações, como fomes e outras carências, mas também como possibilitou o desenvolvimento de novas tecnologias e estimulou a inovação. 

O contributo de Brian Fagan ao abordar a História através do clima é valioso e original. É um excelente trabalho de cruzamento de dados relativos às muitas alterações climáticas de curta duração, entre 1300 e 1850, com momentos históricos determinantes para a Humanidade. Esta História é contada pelos núcleos de gelo, anéis de crescimento de árvores, erupções vulcânicas, mas também pelas migrações de espécies, registos das vindimas, testemunhos pessoais, assim como através de obras de arte e literatura. Um livro estimulante para apreciadores de divulgação científica e História.


Brian Fagan

Alma dos Livros  |  Saiba mais aqui

GRANDE GUERRA E GUERRA COLONIAL: CUSTOS PARA OS COFRES PORTUGUESES

 



Este livro é resultado de um trabalho de investigação realizado por Ricardo Ferraz, em contexto de pós-doutoramento, com o objetivo de apresentar estimativas concretas referente aos custos para os cofres portugueses da Grande Guerra (1914-1918) e da Guerra Colonial (1961-1974). A proposta do autor, assente na vertente financeira destes acontecimentos, vem suprir uma lacuna que o mesmo identifica na historiografia portuguesa

Tendo em conta a natureza académica deste trabalho, os resultados são apresentados com grande objetividade e rigor, suportados por diversas fontes, sendo um livro com interesse especial para entusiastas em História e Economia. Contudo, como o texto é apelativo e as ideias bem sintetizadas, pode ser apreciado pelo público em geral.


Ricardo Ferraz

Edições Sílabo / Saiba mais aqui

MANIPULAR DARWIN

 

Manipular Darwin é um livro fascinante e relevante para fomentar a discussão informada sobre o potencial da tecnologia direcionada para a edição genética. Quais serão os benefícios e os riscos da mesma para o futuro da nossa espécie? 

A primeira parte do livro é dedicada ao progresso científico, de Mendel e Darwin, às descobertas mais recentes, sendo que o autor vai apresentando diversos dilemas morais que dão muito em que pensar. Onde está a fronteira entre a prevenção de doenças e a seleção de genes para nos conferir vantagens competitivas? A segunda metade do livro foca questões de ética, como a eugenia, diversidade e equidade. Muito importante também é a reflexão sobre a competitividade, por exemplo no espaço desportivo e político, e o impacto que esta pode ter na regulação do uso da tecnologia genética.

Manipular Darwin

Jamie Metzl

Saída de Emergência

Saiba mais aqui!

DO FIM DA GUERRA FRIA A TRUMP E À COVID-19

 

Com este livro adquirimos uma perspetiva histórica sobre acontecimentos internacionais das últimas décadas, com particular incidência nos anos de governação de Trump e nas relações internacionais em contexto de pandemia. O autor assina um conjunto de artigos interessantes que versam sobre a estratégia de Trump e a hegemonia americana, a defesa do espaço europeu e os conflitos internacionais.

Carlos Branco tem uma visão abrangente do panorama político que se reflete no modo como explica o estado da ordem liberal internacional como resultado das contradições inerentes ao modelo liberal e das escolhas estratégicas das sucessivas Administrações americanas. 

Do Fim da Guerra Fria a Trump e à Covid-19
Carlos Branco
Edições Colibri

RECRUTAMENTO E SELEÇÃO


Neste livro, António Calheiros começa por introduzir o contexto de recrutamento e seleção. Qual a importância? Quais os desafios? Num segundo momento o autor descreve, de forma critica, as várias etapas deste processo, tendo em conta a necessidade, a atração e escolha dos candidatos, assim como a sempre importante integração dos mesmos. No final de cada tema o autor apresenta um sempre importante resumo.

Professor, investigador e experiente consultor, o autor revela que este livro resulta dos muitos anos de experiencia a preparar aulas, materiais pedagógicos e também das dúvidas dos estudantes. O trabalho como investigador também permite manter-se atualizado neste domínio.

Recrutamento e Seleção: Da Teoria à Prática
António Calheiros
Editora: Editora RH
Saber mais aqui

PRETÉRITO IMPERFEITO

 


A mudança do papado para Avignon no século XIV; A campanha desastrosa da Escócia na colonização do Panamá em 1707; A disputa dos direitos de autor da Internacional, hino da URSS até 1944. Estes são apenas três episódios que mostram com o passado foi imperfeito.

A jornalista espanhola, Nieves Concostrina, selecionou mais de 30 momentos na História, descrevendo-os de uma forma muito, muito descontraída. Ordenados cronologicamente, estes momentos são descritos em poucas páginas. Assim, é aquele livro que interessa manter por perto se tivermos cinco minutos livres e quisermos aproveitar para aprender mais um pedacinho de História.


Pretérito Imperfeito
Nieves Concostrina
Saber mais aqui

O FIM DO ARMÁRIO




O Fim do Armário, tal como nos diz o autor, é uma crónica da época e uma manifestação de desejos. Bruno Bimbi, numa linguagem franca e informativa, que se afasta do politicamente correto, denuncia o discurso de ódio, assim como as contradições inerentes ao pensamento religioso e político, retrógado ou interesseiro, em questões de direitos humanos básicos.

O livro fala sobre avanços e retrocessos na luta pelos direitos civis e é destinado a leitores de todas as orientações sexuais e identidades de género. A mensagem é positiva, pedagógica e apela, tão simplesmente, à empatia. Quando os direitos das minorias são atacados as democracias enfraquecem e todos perdemos.

O Fim do Armário
Bruno Bimbi
Comprar aqui