08 junho 2017

O ADMIRÁVEL HORIZONTE DA BIOÉTICA

Autora: MARIA DO CÉU PATRÃO NEVES
Editora: GLACIAR

A Glaciar, em parceria com a Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, apresenta a colecção “A Ciência Disruptiva”, que terá um volume trimestral sobre cada um das áreas científicas que mais podem impactar a sociedade no futuro. 
O primeiro volume traz-nos uma reflexão prospectiva sobre a BioÉtica da sua mais conceituada estudiosa portuguesa, Maria do Céu Patrão Neves. Com uma primeira parte de introdução ao tema, tem uma segunda onde se estabelece quais as linhas que poderão conduzir esta área no futuro e qual a forma como poderá modificar as nossas vidas e comportamentos. 

Tal como introduz a autora, há "três diferentes modalidades por que a ética tem vindo a ser chamada a intervir no âmbito da ciência, desde a II Guerra Mundial. A primeira modalidade é a da imposição de limites, numa ação repressiva, determinada pelo medo do inédito, por vezes confundida pela comunicação social no sensacionalismo de que procura revestir as notícias para efeitos comerciais. (...) A segunda é a da elaboração de regras, numa ação normativa, exigida por imperativos legais na padronização das boas práticas. (...) A terceira é a da constituição de uma consciência esclarecida, lúcida, numa ação formativa, que tanto interpela o cidadão comum como o cientista".
Maria do Céu Neves lembra que "é a boa ética que gera a boa ciência". Com efeito, a autora refere que "uma ética que se exerce plena e exclusivamente no âmbito das suas competências, como exigência de fundamentação da ação e de racionalidade (lógica e coerente) dos seus processos, e tomando o humano, na sua universalidade, como fim último, garantirá que o conhecimento científico se desenvolva em benefício da humanidade na salvaguarda da dignidade da pessoa e da promoção da justiça social".
Assim, no primeiro capítulo desta obra, Maria do Céu Neves recorda como surge a bioética e como é feita a institucionalização da mesma. No segundo capítulo, a autora aborda os novos horizontes da bioética. E, no terceiro e último capítulo, expõe os desafios desta "ética aplicada à vida", nomeadamente, na produção da vida humana; na engenheirização do humano; na imortalização da vida humana e, ainda, na perfetibilização do humano.
Um livro muito relevante, numa época de múltiplos avanços científicos, que estão intrinsecamente ligados à evolução das sociedades em geral e do ser humano em particular.

Mais informações sobre este livro aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário