08 abril 2016

O APRENDIZ DE GUTENBERG


Autora: ALIX CHRISTIE

Peter Schoeffer é um jovem ambicioso à beira de alcançar o sucesso como escriba em Paris quando o seu pai adotivo, o rico mercador Johann Fust, o convoca à cidade de Mainz para conhecer um homem extraordinário.
Gutenberg, inventor de profissão, criou um método revolucionário – há quem diga blasfemo – de produção de livros: uma máquina a que chama de prensa. Fust está a financiar a oficina de Gutenberg e ordena a Peter que se torne o seu aprendiz. Ressentido por ser forçado a abandonar uma carreira tão prestigiante como escriba, Peter inicia a sua aprendizagem na “arte mais negra”.
À medida que as suas habilidades crescem, assim cresce também a admiração por Gutenberg e a dedicação a um projeto ousado: a impressão de cópias da Bíblia Sagrada.
Mas quando forças externas se alinham contra eles, Peter vê-se num dilema entre os velhos costumes e as novas criações que ameaçam transformar o mundo. Conseguirá ele encontrar uma forma de superar os obstáculos numa batalha que poderá mudar a História?

Baseado em eventos e pessoas reais, este romance histórico faz-nos recuar no tempo e imaginar como seria olhar pela primeira vez para uma página impressa.
Apesar da relutância inicial de Peter perante esta nova arte e depois de alguns contratempos sobre a obra a selecionar para imprimir, o grupo foi arrojado. "Se o papa, o cardeal, o prior não podiam dar a Gutenberg um texto a imprimir, então eles iam escolher e imprimir o que quisessem." De facto, assim foi e a Bíblia Sagrada foi a escolha deles. "Para aquele livro todo-poderoso, cada homem trouxe o seu conhecimento específico, que despojou na forja da criação."
Seguiram-se alguns debates sobre como produzir o livro, já que "a Bíblia tinha de ser um livro de ambão, naturalmente: grande o suficiente para os monges lerem no refeitório, mas austero e dentro dos meios de qualquer abade."
Gutenberg "era o tipo de homem que insistia até as coisas cederem, um bruto capaz de extrair deles mais do que alguma julgariam ter.", no fim de contas "o verdadeiro génio de Gutenberg residia na ordenação do trabalho, em decompor e rearranjar todas as peças.". De facto, mais do que o interesse que a impressão nos vai despoletando ao longo do livro, é Gutenberg que nos prende neste enredo, contado pelo aprendiz Peter Schoeffer ao abade Trithemius. Do início ao fim há uma pergunta que nos vem à cabeça: o que é que Gutenberg fez? A resposta, claro, deixamos que sejam vocês a encontrar.

Podem comprar este livro aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário