29 abril 2016

ARQUITECTURA EM PÚBLICO

Autor: PEDRO GADANHO
Editora: DAFNE

A afirmação da arquitectura portuguesa através da mediatização revelou-se uma boa metáfora para explicar como os media de massa acolhem, digerem, ampliam, apropriam e finalmente deitam fora qualquer assunto que sirva para captar a atenção e o share. Diz-se aqui como o campo arquitectónico adquiriu pujança, como se reflectiu e como acabou por ser escrutinado na esfera pública. Mas podia falar-se de arte, culinária, futebol ou qualquer outra coisa. 
Nas entrelinhas desta expansão mediática ficou também uma história parcial e uma crítica cultural da arquitectura portuguesa entre 1990 e 2005. Nas estórias picantes que aqui se revisitam, esses 15 anos foram o período áureo em que, mais que qualquer meio especializado, o jornal Público deu as boas vindas a uma prática que – pelo menos do ponto de vista mediático – se tornaria numa das grandes exportações da cultura portuguesa contemporânea.

Este livro "procura explicar de forma convincente como podem chegar os arquitectos e as suas arquitecturas a diferentes públicos através dos media (e porque só uns tantos são notícia e outros ficam na maioria silenciosa).". Sendo assim, esta é "uma narrativa de sociologia da informação num domínio tradicionalmente pouco comum para a própria actividade jornalística.".
Pedro Gadanho, escolheu o exemplo do jornal Público, dado este "ter assumido com grande exigência (em continuidade do que o Expresso tinha feito) uma informação que podemos considerar regular sobre as arquitecturas que eram notícia, habitualmente nos seus suplementos culturais e frequentemente a meio caminho entre o 'ensaio' crítico e o descritivo.". Com efeito, segundo o autor, "este jornal ilustrou particularmente bem como o campo arquitectónico encontrou na mediatização generalista uma arena privilegiada para construir uma visibilidade pública expandida.". 
Esta obra divide-se em cinco partes essenciais: contextos de uma modernização (a mediatização generalizada da arquitetura; a presença na imprensa não especializada, a seleção de um medium para a análise); construção da visibilidade mediática (cultura, construção da cidade e diversificação temática; fatores e momentos charneira; as grandes obras e a emergência mediática dos protagonistas); afirmação e apropriação na esfera pública (polémica, debate e afirmação na esfera pública; reflexos e construção mediática; as apropriações simbólicas da arquitetura); efeitos e repercussões (reflexividades do fenómeno da mediatização; aceitação e rejeição da ideia de mediatização; a emergência de uma imagem da arquitetura) e, em jeito de conclusão, a função da opinião; o regresso à esfera pública e, ainda, uma teoria da mediatização da arquitetura.
Na prática, este livro oferece um retrato exato de uma produção cultural como ela é, de facto, vista pelo público.

Pode comprar este livro aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário