05 abril 2014

O FIM DA URSS: A NOVA RÚSSIA E A CRISE DAS ESQUERDAS

Coordenação: PEDRO AIRES DE OLIVEIRA
Editora: EDIÇÕES COLIBRI

O Curso Livre de História Contemporânea, fruto de uma parceria que a Fundação Mário Soares e o Instituto de História Contemporânea têm mantido desde 1997, teve a sua XI edição em finais de Novembro de 2011 na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, subordinado ao tema «O Fim da URSS, Vinte Anos Depois».O seu propósito foi o de realizar um balanço histórico da derrocada da União Soviética e do modelo socialista que esta encarnava e, ao mesmo tempo, promover uma reflexão acerca das vastas repercussões políticas, estratégicas e ideológicas resultantes desse acontecimento, contando para isso com o contributo de um conjunto de reputados analistas e investigadores da área da história, da ciência política, das Relações Internacionais e estudos de segurança. O livro agora editado reúne as principais comunicações aí apresentadas.

Tendo em conta os recentes acontecimentos a leste, este livro surge como uma referência para perceber o clima de tensão entre a Rússia e a Ucrânia, com óbvias consequências nas relações internacionais da Rússia.
Pedro Aires de Oliveira explica que a queda da URSS ficou a dever-se principalmente à derrocada interna do partido comunista, incapaz de suportar o peso  deste "gigante", e não tanto à pressão externa, fugindo à interpretação mais imediata da "vitória do Ocidente". A queda da União Soviética e as suas consequências são avaliadas por David Priestland.
Em seguida são apresentados trabalhos da autoria de Carlos Gaspar, Maria Raquel Freire e Sandra Fernandes que se focam na transição da URSS para a Rússia pós-comunista, com base na orientação estratégica e a ambiguidade identitária russa, ou seja a difícil gestão da Rússia no equilíbrio da sua identidade euro-asiática.
A relação da Rússia com os países mais próximos é também exaustivamente analisada, nomeadamente a vontade de exercer influência sobre os mesmos, que advém do histórico orgulho imperial russo ferido após a queda da URSS. Exemplo disso é a relação com a Ucrânia, em que a aproximação desta à União Europeia pode ser vista como uma ameaça ao poder russo.
António José Telo e Tiago Moreira de Sá discutem as consequências geopolíticas e os seus efeitos na configuração do sistema internacional após a queda da URSS. Destaque, ainda, para a sempre sensível relação da Rússia com a União Europeia num texto de Luís Lobo-Fernandes, ficando a implosão da URSS e a União Europeia a cargo de Patrícia Daehnhardt.

Pode comprar o livro aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário