28 dezembro 2014

NA MONTANHA DE HITLER

Autora: IRMGARD A. HUNT
Editora: BIZÂNCIO

Tendo crescido nas imponentes montanhas de Berchtesgaden, a poucos passos de distância do retiro alpino de Hitler, Irmgard Hunt teve uma infância aparentemente feliz e simples. Nas suas memórias poderosas, esclarecedoras e por vezes assustadoras, relata uma infância vivida sob um dirigente diabólico mas persuasivo. Este não é um livro apenas de memórias, é o retrato de uma nação que perdeu a sua bússola moral. É a história perturbadora de uma família e de uma comunidade num período histórico e numa localização que, embora se estejam a tornar rapidamente remotos para nós, assumem, mais do que nunca, uma enorme relevância para a nossa época.

A autora explica que sentiu necessidade de escrever este livro porque acredita que muitos dos factores da vida quotidiana nazi e o sentimento do povo alemão em relação ao nazismo se perderam para sempre na transição de gerações. Este livro, mais do que registar a infância de Irmgard A. Hunt durante o nazismo, faz um retrato da sociedade alemã dessa época, com muitos pormenores observados pela autora, assim como, ajuda a perceber que mudanças ocorreram na sociedade alemã desde o pré ao pós-nazismo.
O que este livro nos oferece, em complemento a todas as obras que vão surgindo sobre a doutrina nazi e a Segunda Guerra Mundial, é a perspectiva das famílias alemãs “que se consideravam morais, honradas e trabalhadoras e cujos adultos esperavam viver vidas decentes e respeitáveis”. Os mesmos que mais quiseram “esquecer o passado quando os anos do nazismo terminaram e quem preferiu não recordar a sua participação no Terceiro Reich”.

Irmgard A. Hunt, emigrada nos Estados Unidos desde 1958, conta neste livro a sua vida, e da família no vale de Berchtesgaden, muito perto de Obersalzberg, onde Hitler decidiu instalar o seu quartel-general. Esta noção de proximidade é responsável pelos momentos mais intensos durante a leitura, não se podendo ficar indiferente ao episódio em que a “pequena” Irmgard A. Hunt conhece Adolf Hitler, e este a senta no colo para uma fotografia.

Pode comprar o livro aqui!

22 dezembro 2014

DECIFRAR A ARTE EM PORTUGAL - ARTE CONTEMPORÂNEA

Autor: PAULO PEREIRA

Os movimentos artísticos do séc. XX. A tensão entre tradicionalismo/ rutura e a tentativa de construção de um mundo novo a tornar o progresso num valor de aproximação à modernidade. Novos suportes de transmissão e circulação de ideias artísticas – fotografia, cinema, vídeo.

Tal como explica Paulo Pereira na introdução, "Os artistas dos séculos XX e XXI possuem quase todos (com raríssimas e geralmente dramáticas exceções) uma história conhecida e registada, quantas vezes ao ritmo dos meses e dos dias... Por outro lado, como se pode dar a ver uma obra em que regimes de produção, o acompanhamento das tendências nacionais e internacionais levaram a inflexões, mudanças de linguagem, alterações de percurso, hesitações; onde fixa, em que período de produção, deste o daquele, a obra-chave? Pois não há obras-chaves. Há trajetos em aberto, outros encerrados pela desaparição dos artistas ou pela desaparição das obras, outros encerrados em testemunhos e memórias. No seio desta coleção, eis portanto o volume mais complicado.". Efetivamente, este livro encerra a coleção 'Decifrar a Arte em Portugal' do historiador Paulo Pereira. "Num total de seis volumes, esta coleção visita a arte em Portugal a partir da seleção de 100 obras marcantes de cada período histórico desmontando e decifrando os seus elementos e significados.".
Quanto a este volume, de facto tem um elevado grau de exigência, que foi superado por Paulo Pereira e que se traduziu num fascinante livro que ajuda qualquer pessoa a conseguir entender melhor o significado das várias obras de arte apresentadas. 

Saiba mais sobre esta coleção aqui!

19 dezembro 2014

A ARTE NO OCIDENTE

Autores: ANA LÍDIA PINTO; FERNANDA MEIRELES & MANUELA CERNADAS CAMBOTAS
Editora: PORTO EDITORA

A Arte no Ocidente apresenta a arte do mundo ocidental nas suas principais etapas evolutivas, desde a Antiguidade Clássica até à atualidade. Aflora, também, a vertente portuguesa possibilitando um entendimento integrado e comparado da arte nacional.
Obra abrangente, já que abarca mais de vinte e cinco séculos de evolução artística, é também específica pois analisa as principais etapas da História da Arquitetura, da Pintura e da Escultura, integrando-as nos seus respetivos contextos históricos e culturais e descrevendo, classificando e interpretando estilos, movimentos, correntes, autores e obras, muitas delas com análises individuais mais aprofundadas.

Segundo as autoras "resultado atual de vários estudos e pesquisas, efetuados ao longo de quase três décadas de lecionação e de elaboração e produção de materiais didáticos para a disciplina de História da Arte e afins, esta obra integra, também, as nossas reflexões pessoais sobre as matérias que a esta área concernem e que aqui partilhamos com o leitor".
Com efeito, este livro é bastante abrangente, uma vez que aborda a arte grega; a arte romana; as artes medievais dos séculos V-XII; a arte gótica; as artes do Renascimento e do Maneirismo; a(s) arte(s) barroca(s); as artes rococó e neoclássica; a arte do século XIX; as grandes ruturas e, claro, as artes na atualidade.
É, indubitavelmente, um documento precioso, tanto pelo excelente conteúdo, como pela forma como foi materializado.
Os estudantes de Belas Artes e os amantes das artes em geral devem ler este livro.

Pode comprar este livro aqui!

18 dezembro 2014

A CHAVE DE SALOMÃO

Autor: JOSÉ RODRIGUES DOS SANTOS
Editora: GRADIVA

O corpo de Frank Bellamy, o director de Tecnologia da CIA, é descoberto no CERN, em Genebra, na altura em que os cientistas procuram o bosão de Higgs, também conhecido por Partícula de Deus. Entre os dedos da vítima é encontrada uma mensagem incriminatória.
Ψ
The Key: Tomás Noronha
A mensagem torna Tomás Noronha o principal suspeito do homicídio. Depressa o historiador português se vê na mira da CIA, que lança assassinos no seu encalço, e percebe que, se quiser sobreviver, terá de deslindar o crime e provar a sua inocência.
Ou morrer a tentar.
Começa assim uma busca que o conduzirá às mais surpreendentes descobertas científicas alguma vez feitas.

Este livro é descrito como uma "empolgante aventura que arrasta o leitor para o perturbador mundo da consciência e da natureza mais profunda do real, José Rodrigues dos Santos volta a afirmar-se como o grande mestre do mistério.". Nós concordamos.
De facto, mais uma vez, José Rodrigues dos Santos não desaponta os seguidores.
"A informação científica e técnica incluída neste romance é genuína. As teorias e as hipóteses aqui apresentadas são sustentadas por cientistas". Ou seja, o autor teve o cuidado de pesquisar e apresentar dados verdadeiros, que depois romanceou. Isto torna, obviamente, o livro ainda mais interessante para todos os leitores que tenham curiosidade em saber as respostas às seguintes questões:
Será que a alma existe?
O que acontece quando morremos?
O que é a realidade?
Se quer saber essas respostas, vale a pena ler este livro e acompanhar as aventuras de Tomás Noronha e da companheira, Maria Flor.

Pode comprar este livro aqui!

17 dezembro 2014

GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES - Uma abordagem integrada e prospetiva

Autores: LUÍSA CAGICA CARVALHO, MARIA DO ROSÁRIO MATOS BERNARDO, IVO DIAS DE SOUSA & MÁRIO CARRILHO NEGAS
Editora: SÍLABO

Este livro apresenta uma panorâmica global do que é a gestão e do que fazem os seus atores. Tendo em atenção os conhecimentos atualmente lecionados nas mais importantes escolas de gestão nacionais e internacionais, recorre a uma visão abrangente e introdutória das teorias e práticas da gestão. Particular ênfase é colocada nas áreas mais importantes da gestão, como, por exemplo, a estratégia e a liderança, mas também o empreendedorismo, a globalização e a responsabilidade social.

No prefácio aos estudantes os autores dizem: "Se frequenta um curso de gestão, ou de economia, este livro foi escrito para si. Esta obra pretende cobrir, de uma introdutória, grande parte dos assuntos gerais sobre gestão. Se frequentar um outro qualquer curso onde seja necessário adquirir conhecimentos introdutórios de gestão, este livro também é indicado para si". 
Aos (colegas) professores, os autores deixam a seguinte mensagem: "O livro foi estruturado para servir de suporte principalmente aos cursos superiores nas áreas da gestão e da economia, ou noutras licenciaturas onde a gestão seja abordada de forma introdutória".
Fica portanto claro qual é o público-alvo desta obra, que está dividida em seis partes temáticas "dedicadas a temas da gestão de acordo com as abordagens inclusas em cada capítulo". Essas seis partes temáticas são:
- Enquadramento geral - a gestão e os seus atores (aqui são abordadas questões como os desafios à gestão moderna, a relação entre a gestão e o gestor e a evolução e perspetivas de gestão):
- Planeamento (nesta parte são abordadas diversas questões essenciais à gestão relacionadas com o planeamento: missão e objetivos, planeamento e gestão estratégica; marketing e tomada de decisão);
- Organização (esta parte trata questões como; a estrutura organizacional; coordenação, poder e delegação; gestão de recursos humanos; mudança/gestão da mudança, criatividade e inovação);
- Liderança (esta parte apresenta questões ligadas à liderança como: estilos de liderança; características do líder; comunicação; motivação/satisfação; equipas, trabalho em equipa e tipos de grupos e gestão da mudança);
- Controle de gestão e sistemas de informação para a gestão (as áreas apresentadas são: o controlo da gestão; qualidade; as operações e os sistemas de informação para gestão);
- Gestão global e ética empresarial (aqui são apresentadas diversas questões com uma importância crescente: a gestão global; o empreendedorismo; a gestão ética e socialmente responsável).
Por tudo isto, se quer saber mais sobre a gestão das organizações este é um livro que definitivamente deve ler.

Saiba mais sobre este livro aqui!

16 dezembro 2014

INDÚSTRIA & AMBIENTE [88]

Número: 88

A atual edição da revista «Indústria e Ambiente» dedica grande parte do seu conteúdo aos ‘Resíduos e novos materiais do produto para o serviço’.
Com efeito, António Guerreiro Brito, sugere a mudança do produto para o serviço, numa perspetiva de sustentabilidade. Leia a opinião do diretor da revista no editorial desta edição 88 da «Indústria & Ambiente».
Quanto ao dossier, fique a par de artigos de referência no âmbito desta temática, tais como:
- ‘Materiais para as tecnologias da energia: desafios e o papel da reciclagem’ (Carlos Nogueira);
- ‘Produção de combustíveis a partir de resíduos’ (Ibrahim Gulyurtlu);
- ‘Missão reciclar como “motor de crescimento” da reciclagem de resíduos de embalagem’ (Luís Veiga Martins);
- ‘PERSU 2020 – Plano estratégico para os resíduos urbanos, um contributo para a produtividade dos recursos naturais em Portugal’ (Paulo Ferrão, António Lorena);
- ‘O renascer dos materiais electrónicos para uma vida melhor’ (Rodrigo Martins, Pedro Barquinha, Luís Pereira, Elvira Fortunato);
- ‘Shared Waste Solutions - Uma plataforma para a valorização sustentável de resíduos’ (João Almeida, Maria Inês Santos, António Tadeu).
Leia também a entrevista a Francesc Giró i Fontanals, adjunto da direcção da Agência de Resíduos da Catalunha, que descreve, nesta entrevista, o papel importante que o conceito da economia circular desempenha na Catalunha e que, na sua ótica, deve desempenhar na Europa, não apenas nos momentos baixos do ciclo económico, sob pena de a competitividade sair prejudicada.

Saiba como pode ser assinante desta revista aqui!

15 dezembro 2014

EGOÍSTA [53]

Revista: EGOÍSTA
Número: 53

Vamos já diretos ao assunto... o que é aquele objeto no final da revista? Uma prenda? Sim! É uma belíssima peça de cerâmica, concretamente, um porta incensos resultado da colaboração da revista com a 'António Rosa - Cerâmicas'.
 
Esta peça tem retratadas as asas de um anjo, uma vez que, o tema desta edição são os anjos.

Como habitualmente, todo o conteúdo da «Egoísta» é riquíssimo. Assim sendo, entre textos, ilustrações e fotografias poderá apreciar o trabalho dos seguintes autores:
Francisco Simões
Linda David
A mudança - Ivo Mendes da Silva
Jordi Burch
Anjos rurais - José Pedro Santa Bárbara
A nossa necessidade de consolo é impossível de satisfazer - Stig Dagerman
Como se fosse um anjo - Maria Teresa Horta
Poussiere D'Etoiles - Ludovic Florent
O anjo do Saldanha - Patrícia Reis e Rodrigo Prazeres Saias
A língua do coração - Maria João Costa
Quintetos - Cláudio Garrudo
O anjo do rés-do-chão - Cristina Carvalho
Luís Represas e Henrique Cayatte
O anjo azul - Nuno Camarneiro
Nimbus - Berndnaut Smilde
Anjos por flores - Rute Coelho
O desejo de asas - Maria Manuel Viana e Teresa Dias Coelho
Da possibilidade de se ser triste sem asas - Patrícia Reis e Teresa Dias Coelho
Pena - Sebastião Bugalho
O desejo de asas - Zena Holloway
Teresa Dias Coelho
Ana e Ele - Ana Pereirinha e Manuel San Payo


Saiba como pode ser assinante desta revista aqui!

13 dezembro 2014

A MÁQUINA DO PODER

Autores: MIGUEL PINHEIRO & GONÇALO BORDALO PINHEIRO

O que realmente se passa por dentro das campanhas eleitorais dos três maiores partidos portugueses e ninguém vê? Que truques utilizam? Como enchem os comícios de gente? Como decidem os temas dos discursos consoante as sondagens? Como encenam eventos com militantes que passam por cidadãos independentes? O que, de facto, acontece nos bastidores? As maquilhadoras que andam sempre atrás dos líderes, o champanhe que se abre em centros de idosos, as conversas de charme com os jornalistas que acompanham a caravana eleitoral, a preparação dos diretos para os telejornais ou o polémico dinheiro que serve para pagar as campanhas. Estes são alguns dos temas que nos permitem perceber como funciona A Máquina do Poder. Os jornalistas Miguel Pinheiro e Gonçalo Bordalo Pinheiro levam-nos numa viagem inédita aos bastidores das campanhas dos três maiores partidos políticos: PS, PSD e CDS.

"Este livro não deveria existir." - começa assim a introdução deste livro. Não deveria existir no sentido de que PS, PSD e CSD deram "um acesso sem precedentes à sua máquina partidária". 
Os autores acompanharam o bastidores destes partidos durante semanas, o que lhes permitiu desvendar neste livro praticamente tudo o que queremos saber sobre como se gere uma campanha eleitoral. De facto, "apesar de os candidatos terem muito a ganhar ou a perder, consoante o que acontecesse durante a campanha" os autores afirmam que fizeram este trabalho "com absoluta liberdade".
Neste livro os tópicos de interesse são vários, como por exemplo: os truques de propaganda dos políticos (os comícios encenados, as estratégias para encher os comícios, as sondagens que ajudam a definir o discurso que mais agrada às pessoas); as táticas para influenciar a imprensa (as conversas de charme para conquistar a simpatia dos jornalistas, o poder das televisões); as técnicas para lidar com o povo (os assessores que vão à frente nas arruadas para evitar os comentários desagradáveis, as frases ensaiadas para meter conversa); o poder do aparelho (as pressões para controlar a agenda dos candidatos - e o dinheiro necessário para pagar uma campanha); as guerras internas que minam as campanhas (as informações que os partidos escondem dos candidatos, as rasteiras que vêm de dentro) e, ainda, os candidatos na intimidade (os jantares com amigos, as conversas nos carros).
Este é um livro que, certamente, irá despertar o interesse de quem estuda ou trabalha em marketing político, mas também consideramos que este livro é de grande relevância para todos os cidadãos. Aliás, se ler este livro estará preparado para entender muito do que ser irá passar nas próximas eleições, uma vez que, "as eleições mudam, mas a máquina do poder mantém-se igual".

Saiba mais sobre este livro aqui!

10 dezembro 2014

TECNOHOSPITAL [65]

Revista: TECNOHOSPITAL
Número: 65

Os dois pontos fortes da edição número 65 da revista «TecnoHospital» centram-se no dossier sobre o tema ‘Manutenção e gestão de ativos’ e na entrevista à presidente da direção do STE – Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado e Entidades com Fins Públicos.
Relativamente ao dossier sobre ‘Manutenção e gestão de ativos’ é possível ler artigos sobre:
- Manutenção inteligente (João Pequito);
- O serviço de instalações e equipamentos – Organização, recursos e desempenho (J. Durão Carvalho);
- Manutenção de equipamento médico em regime de outsourcing  - a perspetiva da empresa (Joaquim Peixoto);
- Manutenção hospitalar – Experiência e engenharia (Luís Cardoso, Sara Santos);
- Manutenção e análise de falhas de equipamentos médicos (João Miguel Rodrigues, Vanessa Amaral).
Este cinco artigos pretendem “retratar alguns aspetos da atividade de manutenção nos nossos hospitais com o objetivo de retirar conclusões que possam, de algum modo, ser úteis para quem desempenha funções técnicas e de direcção nesta área”.
Quanto à entrevista à presidente do STE, Helena Rodrigues fala dos problemas que se colocam aos trabalhadores da Administração Pública, quer salariais, quer laborais, e também das transformações que a gestão privada veio trazer à Saúde, num contexto em que, nas palavras da presidente, o movimento sindical, pelos menos para os quadros superiores “já se esbateu”.

Saiba como pode ser assinante desta revista aqui!

04 dezembro 2014

EMPREENDEDORISMO E PLANO DE NEGÓCIO NO SETOR AGRÍCOLA

Autores: ORLANDO LIMA RUA & JULIANA SANTOS PINTO
Editora: VIDA ECONÓMICA

O setor agrícola e agro-industrial representa, hoje, um vasto universo de oportunidades para Portugal e muitos portugueses.
Não se trata de um “regresso ao passado”, no sentido do regresso ao campo e à vida difícil que normalmente lhe está associada, mas, antes, do aproveitamento do potencial que o setor apresenta, seja pela via da substituição de importações, seja pela via da exportação.
Esta obra constitui um apoio adicional para todos os que pretendam lançar-se na atividade de criação de riqueza e emprego em Portugal, não apenas os que queiram ser empresários do subsetor hortícola, mas todos os que entendam ser o setor agrícola e agro-industrial, como um todo, um campo de oportunidades.

Tal como explica José Fernando Figueiredo no prefácio deste livro, "partindo de uma descrição das condicionantes da envolvente e de uma caracterização do setor, com estatísticas e informação relevante, e descrevendo várias noções de agricultura e tipologias de produção, os autores passam em seguida à análise de diferentes noções de empreendedorismo e da atitude nova a ter para gerar inovação e criar valor de forma distintiva".
Posto isto, é possível ler sobre as diferentes fases da criação de uma empresa e sobre a elaboração de um plano de negócios, onde entram as análises de mercado, de estratégia, SWOT e, ainda, a estratégia de marketing.
Além disso, é apresentado um estudo de viabilidade económica e financeira, a uma empresa imaginária, que ajuda a perceber, efetivamente, como o ramo funciona.

Pode comprar este livro aqui!

03 dezembro 2014

CONSTRUÇÃO MAGAZINE [63]

Número: 63

O número 63 da revista «Construção Magazine» dá a conhecer o ITeCons – Instituto de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico em Ciências da Construção.
De acordo com Eduardo Júlio, diretor desta revista, o ITeCons “teima em crescer e afirmar-se no sector da Construção nacional, tendo recentemente triplicado a área instalada e multiplicado por sete o número original dos seus recursos humanos”.
Assim sendo, o dossier temático desta edição da «Construção Magazine» inclui uma entrevista ao fundador e presidente do ITeCons, Professor António Tadeu, e ao Professor Fernando Seabra Santos, (reitor da Universidade de Coimbra, aquando da criação do ITeCons), que sempre acreditou no sucesso deste projeto. Aliás, como afirma António Tadeu “muito daquilo que se faz aqui acaba por ser trabalho de inovação para responder aos pedidos da própria indústria, que pretende comercializar os seus produtos no mercado global”.
Quanto aos artigos técnico-científicos, de vários investigadores do Instituto, que mostram o excelente trabalho que tem vindo a ser desenvolvido na instituição, abordam:
- Desenvolvimento de soluções de parede sustentáveis compostas por subprodutos da cultura do arroz;
- Caracterização dinâmica de apoios resilientes;
- Desempenho de fachadas cortina, caixilharias e acessórios – ensaios laboratoriais e marcação CR;
- Potencial da termografia passiva na inspeção da envolvente dos edifícos;
- Floatwing – uma casa flutuante sustentável. 
São, portanto, bons motivos para ler esta edição da «Construção Magazine».

Pode ser assinante desta revista aqui!

26 novembro 2014

AS 25 TAREFAS INCONTORNÁVEIS DO GESTOR DE PME

Autor: LUIS CASTAÑEDA
Editora: ACTUAL

Neste livro, claro e sintético, o autor apresenta uma análise da sua experiência como gestor de pequenas e médias em-presas, seleccionando as 25 tarefas indispensáveis para obter melhores resultados na liderança deste tipo de organizações. De forma directa e simples, esta obra irá ajudar o leitor a aprofundar as suas competências, abrindo caminho a novas formas de pensar e agir.

Um livro de pequeno formato, mas rico em conteúdo. De facto, não se deixe iludir pela dimensão do livro porque nele estão conselhos preciosos para qualquer gestor de uma empresa. Aliás, como o próprio autor refere algumas vezes ao longo do livro, um dos problemas dos diretores é precisamente acharem que sabem tudo e que não precisam de ajuda ou aconselhamento. Desenganem-se. 
Além de conselhos técnicos, este livro está bastante focado na importância a dar aos recursos humanos. Ouvir os empregados e tomar iniciativas que ajudem na criação de boas relações entre os funcionários são aspetos que são reforçados ao longo do livro.
Quanto às tarefas propriamente ditas, algumas das sugestões de Luis Castañeda são: tomar decisões precisas e oportunas; manter uma estrutura organizacional sólida e simultaneamente flexível; criar um ambiente de trabalho que propicie o bem-estar, a melhoria contínua e a produtividade; formar líderes dentro da organização; estar permanentemente atento a oportunidades e, ainda, salvaguardar os ativos da empresa.
Se é diretor de uma empresa ou está a criar um projeto, vale a pena ler este livro e ter em conta as 25 tarefas propostas pelo autor.

Pode comprar este livro aqui!

21 novembro 2014

POR TRÁS DA GRADE - POESIA CONVENTUAL FEMININA EM PORTUGAL (SÉCULOS XVI-XVIII)

Autora: ISABEL MORUJÃO
Editora: INCM

Os primeiros sinais de visibilidade editorial do rosto feminino da escrita portuguesa foram dados pela produção literária originada nos mosteiros.
A explicação para este facto — ainda pouco consciencializado pela história da literatura e da cultura portuguesas — constituiu a motivação e a preocupação deste livro, que percorre tem e formas dominantes da poesia produzida nos mosteiros femininos, focalizando-se em oito das escritoras mais representativas dos séculos XVI a XVIII e da diversidade de ordens religiosas da época: carmelitas, clarissas, cistercienses, dominicanos, agostinhas... A articulação dos textos produzidos com os ambientes em que circularam (entre a comunidade conventual e a sociedade de corte) permitiu suspeitar redes, perceber funcionalidades e ponderar diálogos textuais, que fazem das composições femininos campos férteis de intertextualidades várias.
Em suma, procurou-se entender o impulso destas mulheres para a escrita, no quadro de uma sociedade e de uma organização de vida religiosa que, paradoxalmente, as vocacionava para o silêncio e para o recolhimento.

Neste estudo, "os textos impressos constituíram a fonte documental que mais escorou esta investigação, não só por serem aqueles que, através da dignidade da imprensa, a sua época caucionou como mais relevantes, como pelo facto de representarem a parte mais substancial do material recolhido, A partir deles, delimitou-se um conjunto de oito poetisas, que consideramos representativas desta poesia conventual, não só por serem as mais editadas, como poer permitirem uma compreensão desta literatura através de ordens religiosas diversas".
Com efeito, este estudo divide-se em três partes distintas. "Na primeira parte, reflecte-se sobre as condições de emergência desta poesia feminina conventual, precisando-lhes razões, contextos e funções. Na segunda parte, descrevem-se as formas poético-literárias dominantes, procurando determinar-lhes a origem e a consistência e avaliar os efeitos decorrentes da sua translação para o contexto monástico. Finalmente, a terceira parte procura articular as formas e os temas preferenciais desta poesia com o tempo e os ritmos de vida claustral, tentando reconstruir funções, circunstâncias, experiências e finalidades que lhe estiveram associadas".
Assim, estamos perante uma obra bastante relevante para todos os interessados na poesia no feminino em Portugal, particularmente no contexto religioso.

Pode comprar o livro aqui!

13 novembro 2014

LITERATURA & JOGO

Organizadores: ISABEL LIMA PATIM; DANIEL SEABRA; RUI ESTRADA; FERNANDO HILÁRIO
Editora: ESFERA DO CAOS

Perspetivada, não apenas como um objeto de estudo próprio nos domínios das línguas e culturas ou em estudos de área, mas também como uma ferramenta de análise crítica noutras disciplinas, como as ciências naturais, da saúde, sociais e humanas, ou políticas, a Literatura tem sido equacionada para além das fronteiras académicas e disciplinares, con­vocando múltiplas áreas do conhecimento e modos de questionar, a partir de diferen­tes abordagens. Neste volume, a Literatura também se enquadra na sua relação com a sociedade, promovendo-se aqui o enquadramento de áreas disciplinares diver­sificadas — Linguística, Publicidade, Antropologia, Sociologia, Desporto, Medicina, Psicologia, História, Direito, Política e Relações Internacionais, entre outras —, na sua relação com o Jogo e com as especificidades da produção de narra­tivas, discur­sos, representações e mitos que daí decorrem.

Aqui há jogo, e como diz Rui Estrada na introdução do livro "aqui ganha-se sempre".
Esta obra aborda o jogo de uma forma não convencional. Para começar, na secção literatura são apresentados vários tópicos como o jogo da linguagem poética, a presença e a relevância de diversos jogos na literatura, o jogo humano, o jogo dos quartos de hotel, o jogo e o delito na literatura inglesa, entre outros. Já no que respeita à saúde "temos o jogo patológico e a doença de Parkinson, o jogo do corpo na adolescência, a importância do sono e da alimentação no desporto, o jogo e lesões e jogo e doping". Com efeito, este livro torna-se bastante interessante por todas estas abordagens. E não se ficam por aqui. O jogo e a publicidade, o caso da Coca-Cola com os advergames, o jogo discursivo no anúncio publicitário e o jogo do bigposter são também objeto de análise neste livro. Para terminar, "há ainda jogo e simbologia, jogo e pedagogia, jogo e museologia".
Assim, há jogos para todos os gostos e para várias áreas do conhecimento.
Desafiamo-lo a ler.

Mais informações sobre o livro aqui!

11 novembro 2014

O CAPITAL NO SÉCULO XXI

Autor: THOMAS PIKETTY
Editora: TEMAS E DEBATES

Quais são as grandes dinâmicas que regem a acumulação e a distribuição de capital? As questões sobre a evolução da desigualdade a longo prazo, a concentração da riqueza e as perspetivas de crescimento económico estão no cerne da economia política. Mas é difícil obter respostas satisfatórias devido à falta de dados corretos e de teorias claras. Em O Capital no Século XXI, Thomas Piketty analisa um conjunto exclusivo de dados de vinte países, que percorrem mais de três séculos, para discernir os padrões socioeconómicos fundamentais. As suas descobertas transformarão o debate e as prioridades da reflexão sobre riqueza e desigualdade das próximas gerações.

Originalmente publicado em 2013, «O Capital no século XXI», é definido por Paul Krugman  como “o mais importante livro do ano – e talvez desta década”, e os argumentos para esta afirmação são facilmente comprovados assim que começamos a ler o livro.
Apoiado numa investigação de quinze anos, Thomas Piketty defende que a desigualdade não é um acidente mas um fator incontornável do capitalismo, sendo que apenas pode ser minorada através da intervenção do Estado. A tese de Piketty é sustentada numa fórmula que relaciona a taxa de retorno de capital com a taxa de crescimento económico, que engloba os lucros, os dividendos, os juros e as rendas, entre outras dimensões do capital. 
Na base do discurso do autor está a noção de que os estudos dedicados à desigualdade, estão limitados pela “relativamente escassa quantidade de factos solidamente estabelecidos, e em muita especulação puramente teórica”. Por isso mesmo é importante ler com atenção a análise crítica que Thomas Piketty fez relativamente à teoria de Thomas Malthus, ao princípio da escassez de Ricardo e ao princípio da acumulação infinita de Karl Marx.
O livro divide-se em quatro partes: Rendimento e Capital; Dinâmica da Relação Capital / Rendimento; A estrutura das Desigualdades; Regular o Capital no Século XXI. 

Pode comprar o livro aqui!

06 novembro 2014

OS APANHADORES DE CONCHAS

Autora: ROSAMUNDE PILCHER
Editora: MARCADOR

Os Apanhadores de Conchas é um romance de laços e ligações: de uma família, das suas paixões, das mágoas e desgostos por ela vividos durante três gerações.
Um romance de pessoas reais - mães e filhas, maridos e amantes -, inspirado em valores e ideias tangíveis que tocam verdadeiramente todos os leitores. 
Um romance mágico, daqueles que surgem uma vez a cada cinquenta anos e que nos faz querer regressar sempre às suas páginas. 

Quando tiverem vontade de ler um bom romance (daqueles mesmo bons, como já não leem há muito tempo), o livro «Os apanhadores de conchas» é a solução.
Cada capítulo foca uma personagem e a estória avança e recua no tempo, com uma leveza extraordinária. 
Neste livro, acompanhamos a vida de Penelope Keeling, dos três filhos (Nancy, Olivia e Noel) e de pessoas que foram entrando na vida de Penelope ao longo de mais de sessenta anos. O título do livro refere-se ao nome de um quadro, pintado por Lawrence Stern, pai de Penelope, um pintor vitoriano cujas obras começam a relevar um valor surpreendente nos anos 80. Assim, entre temas como a pintura e a Segunda Guerra Mundial vamos sabendo mais sobre a família Keeling e sobre o destino de Penelope e dos quadros do pai.
Uma estória envolvente, sem grandes rodeios, que nos capta a atenção do início ao fim.

Podem comprar o livro aqui!

05 novembro 2014

A HERANÇA DE SANTOS SIMÕES - Novas perspectivas para o estudo da azulejaria e da cerâmica

Coordenação: SUSANA VARELA FLOR

Autor de vasta obra publicada, João Miguel dos Santos Simões (1907-1972) foi figura marcante para o estudo da azulejaria e cerâmica portuguesa e holandesa. Passados mais de quarenta anos sobre o seu desaparecimento, a obra legada é não só de referência imprescindível, como serviu também de estímulo a inúmeros investigadores, cujo trabalho reflecte o dinamismo de uma geração que soube trilhar os caminhos abertos por Santos Simões. O livro que agora se dá à estampa tem como objectivos o de apresentar novas perspectivas histórico-científicas em torno dos estudos sobre Azulejaria e Cerâmica e o de prestar bom testemunho da recepção da herança de Santos Simões. A afirmação da História da Arte como ciência aberta tem-se reforçado em Portugal nos últimos anos, justamente porque soube prosseguir a lição dos seus grandes nomes-referência.

Esta obra divide-se em cinco áreas: preservação patrimonial; projetos científicos; estudos de azulejaria (sécs. XVI-XX); estudos de cerâmica (sécs. XV-XX) e, ainda, interações artísticas na azulejaria e na cerâmica. Ao todo são 28 artigos que constroem este livro, que contou com a coordenação científica de Susana Varela Flor. Alguns dos textos publicados são reflexo da interação entre a Rede Temática em Estudos de Azulejaria (coordenada por Susana Varela Flor) "com os vários ramos do saber, numa perspectiva alargada e de investigação integrada, e que em muito ultrapassam a mera inventariação da obra de arte".
Assim sendo, estamos perante uma vasta reunião de estudos sobre a azulejaria e a cerâmica, que merecem a nossa atenção.

Pode comprar o livro aqui!

28 outubro 2014

EDUARDO SOUTO DE MOURA: ATLAS DE PAREDE, IMAGENS DE MÉTODO

Textos: PEDRO BANDEIRA, PHILIP URSPRUNG, DIOGO SEIXAS & EDUARDO SOUTO DE MOURA
Editora: DAFNE

Como é que um arquitecto trabalha? Sabemos que gere um número complexo de solicitações, das exigências peculiares do cliente às limitações geológicas do terreno, passando pelo autoritarismo dos regulamentos e pela subjectividade do mestre-de-obras. O projecto é o lugar onde essa gestão ganha forma documental e a Arquitectura é o saber que permite operar o projecto.
Mas como é que se cartografa esse saber? Como é que ele é composto? Como é que ele se constrói?
Este livro navega por essas interrogações, utilizando o imaginário visual do arquitecto Eduardo Souto de Moura para ensaiar algumas hipóteses. As muitas imagens que conquistaram o espaço do livro foram sendo recolhidas pelo arquitecto e dialogam com desenhos e projectos originais. Estiveram ou estão ainda afixadas nas paredes do seu escritório, arquivadas em gavetas pesadas, penduradas nas paredes de casa e, particularmente, presentes ou latentes no modo como o arquitecto imagina a Arquitectura.

Nesta obra os autores procuraram "estratificar, de modo ilusoriamente objectivo, as imagens que se assumem como metodologia para pensar o projecto de arquitectura". Apesar de Eduardo Souto de Moura ter acompanhado a construção deste atlas "abdicou da última palavra na selecção e combinação final das imagens (na sua ordem e na sua associação) na expectativa de também ele ser surpreendido por uma nova narrativa construída a partir de imagens que ele conhece tão bem". É provável que tenha ficado surpreendido, nós com certeza ficamos. Este atlas, de grande porte e capa dura, apresenta-se como uma fascinante reunião de imagens e do trabalho de um dos mais notáveis arquitetos portugueses.
As imagens apresentadas podem dividir-se em quatro grandes grupos: "imagens que emergem no âmbito da concepção do projeto e que de certo modo o antecedem; imagens que emergem durante a produção do projecto e que com ele concorrem; imagens que emergem da comunicação do projecto, afirmando-se quase sempre como imagens que lhe são posteriores; e, finalmente, imagens que emergem com a materialização da obra, com a sua recepção, imagens que a apropriação da obra, idealizada pelo autor ou participada por outros".

Pode comprar o livro aqui!

27 outubro 2014

FELIPE & LETIZIA - A conquista do trono

Autor: JOSÉ APEZARENA

Uma «monarquia renovada, para um tempo novo» foi esta a promessa feita por Felipe de Borbón, no dia 19 de junho de 2014, ao ser coroado Felipe VI de Espanha, sucedendo ao seu pai Juan Carlos. Ao seu lado, como sempre, estava Letizia Ortiz, a nova rainha de Espanha. A mulher com quem escolheu casar há dez anos, desafiando tudo e todos. Começava a 22 de maio de 2004, data do matrimónio, a longa caminhada de Felipe e Letizia na conquista do trono espanhol. Muita coisa aconteceu ao longo destes dez anos. Episódios felizes, como o nascimento das suas duas filhas, Leonor e Sofía, outros mais polémicos que vieram demostrar a união deste casal e o seu total compromisso para com Espanha e os espanhóis. Letizia Ortiz, uma plebeia e ex-jornalista, esteve sempre no centro das atenções, viu os seus comportamentos, gestos e escolhas de vestuário serem analisados ao pormenor e, por vezes, violentamente, criticados. Juan Carlos, pai de Felipe e antigo rei esteve no centro de algumas polémicas e viu o seu estado de saúde comentado nos jornais. Mas o caso que abalou os alicerces da monarquia espanhola e promete marcar este início de reinado é, sem dúvida, o caso Urdangarin, que atinge a irmã Cristina e o cunhado do novo rei. A tudo isto, Filipe VI promete responder com a imagem de marca deste casal: rigor, empenho e honestidade. Nesta obra atual e recheada de pormenores inéditos, o jornalista José Apezarena, especialista em assuntos da casa real espanhola, analisa a vida de Felipe e Letizia desde que se conheceram até ao momento em que se tornaram soberanos de Espanha. Os desafios que enfrentaram, os obstáculos que ultrapassaram em dez anos intensos entre o amor, as dificuldades e o dever. Os reis de Espanha do século xxi têm uma tarefa complicada pela frente. Mas Felipe e Letizia prepararam-se para ela durante a última década. Agora, chegou o seu momento.

Nesta obra ficamos a conhecer intimamente a vida de Felipe e Letizia. No caso de Felipe, não apenas a vida após o casamento como também factos sobre o crescimento, a educação e a vida privada. Factos estes, obviamente ligados à monarquia e à preparação de um jovem para futuro rei.
É portanto uma obra que vai além do que habitualmente conhecemos através das revistas. Neste livro, ficamos a conhecer o que realmente importa sobre aqueles que atualmente são os reis de Espanha. E o caminho não é fácil.
Além das personagens principais, o livro também aborda a vida de Juan Carlos e Sofía, e das infantas, Leonor e Sofía. 
Com efeito, tal como diz José Apezarena, "este livro tenta relatar e resumir o que aconteceu na vida de Felipe e de Letizia desde o dia 22 de maio de 2004, há dez anos, quando contraíram matrimónio na catedral de La Almudena, até à sua chegada ao trono como novos reis de Espanha. Pretende ser, de certa maneira, uma crónica dos anos que viveram, das mudanças que eles próprios sofreram, e como chegaram até aqui. Qual foi e é o seu trabalho para merecer o trono e o que têm de fazer para o ocupar a partir de agora com dignidade e ao serviço dos espanhóis".
Uma obra bastante interessante, particularmente por abordar o percurso de preparação de duas pessoas distintas para cargos tão nobres como o de rei e de rainha. 

26 outubro 2014

TUDO SE TREINA

Autor: JORGE ARAÚJO
Editora: INCM

O ser humano precisa de estar em constante relação com os outros, e integrado em coletivos ou comunidades. Mas também apresenta necessidades prementes de afirmação individual, reconhecimento e distinção. Gosta de cooperar, mas igualmente de competir. Compara-se com aqueles que o rodeiam, e interpreta as suas atitudes e comportamentos com base nas crenças e valores adquiridos. Está em permanente comunicação, consoante o treino e a educação recebidos e, integrado numa realidade social complexa e imprevisível, confronta-se com uma constante necessidade de adaptação.
Todos nós adquirimos hábitos comportamentais através da educação e do treino a que somos sujeitos. É um processo naturalmente condicionado pelo ambiente social em que nos integramos, pelas oportunidades e experiências vividas, pela paixão com que nos entregamos à busca da melhoria pretendida e, principalmente, pela presença e pela qualidade do apoio de quem nos mobiliza no sentido de adquirir a empatia e a resiliência necessárias para atingirmos determinados objetivos.

Jorge Araújo foi treinador profissional de basquetebol durante 38 anos. Atualmente é uma referência no que respeita ao coaching individual e de equipas em contexto empresarial.
O livro conta com dois prefácios, um de José Constantino, presidente do Comité Olímpico de Portugal e outro de Paulo Almeida, chefe de gabinete do presidente do Comité Olímpico de Portugal. Posto isto, o autor inicia a obra recordando a história da 'bola no nariz', também referida ao longo do livro, onde, resumidamente, ficamos a saber que por um jogador ter colocado a mão no nariz após lhe terem atirado com uma bola, perdeu a bola que tinha na mão, dando a possibilidade ao adversário de recuperar a mesma e marcar cesto. A equipa perdeu o campeonato devido a esse "deslize". O que aconteceu depois deixamos para lerem no livro.
Mas afinal, o que é que podemos aprender com este livro? O autor aborda vários pontos, tais como: adquirir hábitos comportamentais; ser excelente; a importância das neurociências; as energias e as emoções; o interruptor do sucesso; em equipa que ganha também se mexe; treino na área comportamental; bem-estar físico, mental, emocional e espiritual; entre outros.
Este livro conta ainda com oito notas finais, onde Jorge Araújo afirma que "uma intervenção de coaching pressupõe envolver, ajudar a refletir, criar opções e aprender com os erros, concentrando-se o treinando em soluções imediatas, possíveis de alcançar, e não só nas de longo prazo, e, obviamente, mais ambiciosas (e difíceis de concretizar)".

Pode comprar o livro aqui!

24 outubro 2014

CONSTRUÇÃO MAGAZINE [62]

Número: 62

O número 62 da revista «Construção Magazine» pretende dar a conhecer aos leitores uma visão alargada do LNEC (Laboratório Nacional de Engenharia Civil).
Nesta edição da revista acompanhe a conversa de Eduardo Júlio, diretor da «Construção Magazine», com Carlos Pina, presidente do LNEC. Aqui, poderá saber mais sobre o início auspicioso da instituição, para o qual contribuiu o facto de agregar todas as áreas da engenharia civil, e também sobre os atuais desafios, nomeadamente ao nível do financiamento e da capacidade de adaptação ao presente e futuro da construção civil.
Carlos Pina revela, por exemplo, que “um desafio que o LNEC e as universidades têm é o de serem capazes de fazer com que o conhecimento existente nos vários centros de investigação que, desde os anos 80, 90, se desenvolveram em Portugal, na área da Engenharia Civil, seja passado para a prática”.

Outros temas de interesse nesta edição da «Construção Magazine» são, por exemplo, a ‘Intervenção na Herdade de Torre da Palma’; a ‘Análise com GPR da constituição de chaminés industriais em alvenaria’; a ‘Marcação CE e Avaliação Técnica Europeia de produtos e sistemas de isolamento térmico de edifícios” e, ainda, a ‘Análise estrutural da cabine de um pequeno submarino de recreio e investigação”.

Saiba como ser assinante desta revista aqui!

23 outubro 2014

DA EUROPA DE SCHUMAN À NÃO EUROPA DE MERKEL

Autor: EDUARDO PAZ FERREIRA
Editora: QUETZAL

«Que reste-t-il de nos amours?» É a indagação nostálgica de uma bela canção de Charles Trenet, dos tempos da grande música europeia. É, também, de algum modo, o fio interrogativo de um livro em que se questiona a forma como foi possível passar de uma construção europeia destinada a assegurar a solidariedade e a prosperidade de um continente devastado - criando estruturas jurídicas de organização social e económica que se impuseram ao Mundo -, para um continente cada vez mais irrelevante, cujos valores fundadores se desvaneceram quase por completo. Como se passou de um projecto comum, em que todas as vozes e vontades se juntavam, a um (des)agregado de países, alguns unidos por pouco mais do que uma moeda comum, em que os interesses nacionais a tudo se sobrepõem, e os conflitos e ódios florescem? Onde errámos? Nos termos da própria criação do Mercado Comum? No Tratado de Maastricht e nas suas revisões? Nos poderes não controlados, outorgados a um grupo de políticos com legitimação frágil e a uma massa anónima de eurocratas insensíveis? Ou teremos errado ao criar o ambiente que levou à passagem de uma Alemanha Europeia a uma Europa Alemã?

Contextualizando a evolução da Europa de forma exemplar, Eduardo Paz Ferreira reforça ao longo do livro "a passagem da Alemanha de Estado tolerado e integrado, de forma que o seu poder não ameaçasse a Europa, ao Estado em que tudo pode e em tudo manda, com fortes consequências na natureza da União Europeia e no quotidiano das suas populações".
Com efeito, Eduardo Paz Ferreia, recorda um documento oficial que retrata a História da integração europeia nos seguintes períodos:
- 1945-1959: Uma Europa pacífica - Início da cooperação;
- 1960-1969: Um período de crescimento económico;
- 1970-1979: Uma comunidade em expansão - O primeiro alargamento;
- 1980-1989: A fisionomia da Europa em mutação - A queda do Muro de Berlim;
- 2000-2009: Mais expansão;
- A partir de 2010: Uma década de oportunidades e desafios.
Posto isto, o autor realça a fama da França e o proveito da Alemanha, onde a última "muito mais rapidamente do que se poderia ter pensado, se vê reabilitada e desejada como parceiro das mais respeitadas organizações europeias".
Obviamente, Eduardo Paz Ferreira também destaca a adesão portuguesa e as respetivas consequências. 
A moeda, o euro, também é objeto de análise nesta obra.
Depois de outros tópicos, o autor dedica o último capítulo ao futuro da Europa, interrogando: "Podemos salvar a Europa?".
Eduardo Paz Ferreira acredita que "fundamental é refundar uma Europa que possa atrair os seus cidadãos" e foi com isto em mente que decidiu publicar este livro.

Pode comprar o livro aqui!

21 outubro 2014

CRIE A SUA ECONOMIA

Autora: KIMBERLY PALMER
Editora: SELF

Cansadas da ameaça constante do desemprego e das dificuldades financeiras, milhões de pessoas vão dando o salto: joias feitas à mão, comida caseira, formação pessoal, desenvolvimento de aplicações para telemóvel, etc… Reforçam os seus rendimentos e criam redes de segurança para a eventualidade de serem atiradas para o desemprego. Pelo caminho, dão largas à sua criatividade e conseguem uma realização pessoal que nunca julgaram possível. A colunista financeira Kimberly Palmer revela este movimento crescente, começando por contar o seu próprio percurso.
Reconhecendo que o jornalismo não oferecia grande estabilidade (e com um bebé para alimentar), decidiu desenvolver guias financeiros. O seu negócio paralelo rapidamente tornou-se uma fonte de rendimento estável. Crie a Sua Economia conta a história de pessoas que se libertam da angústia financeira.

De acordo com Kimberly Palmer "este livro ajudá-lo-á a preparar o seu biscate para o lançamento, para o salvar do medo e frustração financeiros, para o tornar mais seguro e próspero e para lhe permitir satisfação e realização pessoal muito além do que obteria com a sua ocupação principal.". Com efeito, dado o enquadramento económico atual este livro é bastante pertinente. Dar a volta à crise ou a uma situação desfavorável por vezes acontece através de algo inesperado, de um hobby que passa a atividade principal, e para dar esse "salto" pode contar com as dicas de Kimberly Palmer. Ao longo do livro a autora apresenta várias histórias de sucesso (que poderão facilmente conhecer através dos websites e blogues dos protagonistas apresentados no final do livro), aponta vários tópicos representados em quadros ao longo do livro (que facilitam a leitura) e, ainda, indica quais as principais lições a tirar de cada capítulo. 
No final do livro, existe um caderno prático que o ajudará a saber por onde começar, o que fazer e como encontrar tempo para criar a sua economia. Nesta secção poderá também iniciar um plano de trabalho para transformar a sua ideia/hobby numa fonte de rendimento regular.
Kimberly Palmer dá ainda a conhecer o top dos 50 biscates, estando os webdesigners a ocupar o número um desta lista.

16 outubro 2014

HISTÓRIAS FALSAS

Autor: GONÇALO M. TAVARES
Editora: CAMINHO

Arrogante, mais do que era seu costume, cheio de vaidade pela riqueza que ostentava e pelo estômago farto, Mercatore disse, para Diógenes:
– Se tivesses aprendido a bajular o rei, não precisavas de comer lentilhas.
E riu-se depois, troçando da pobreza evidenciada por Diógenes. O filósofo, no entanto, olhou-o ainda com maior arrogância e altivez. Já tivera à sua frente Alexandre, o Grande, quem era este, agora? Um simples homem rico?
Diógenes respondeu. À letra:
– E tu – disse o filósofo – se tivesses aprendido a comer lentilhas, não precisavas de bajular o rei. 
De «A história de Listo Mercatore»

O que é que pode encontrar neste livro?
"Breves narrativas: desvios ficcionais na história da filosofia antiga".
Ao todo são nove histórias "escritas no mesmo período" embora "publicadas em momentos muito distintos, em revistas portuguesas e numa antologia de contos (Jovens escritores para a nova Europa) publicada em italiano e húngaro.
Gonçalo M. Tavares escreveu estas histórias pois pretendia "em primeiro lugar, exercer um ligeiro desvio do olhar em relação à linha central da história da filosofia; por outro lado, tinha curiosidade em perceber o modo como a ficção (verosímil ou nem tanto) se pode encostar suavemente a um fragmento da verdade até ao ponto em que tudo se mistura e se torna uniforme".
Assim sendo, desafiamos os nossos leitores a conhecerem as histórias de: 'Julieta, a santa da Baviera'; de 'Lianor de Mileto'; de 'Listo Mercator'; de 'Metão, o Pequeno'; dos 'Tiranos'; de 'Aurius Anaxos'; de 'Elia de Mirceia', de 'Faustina, a Medrosa', e ainda, a história de 'Arquitas'.

Pode comprar o livro aqui!

06 outubro 2014

PERCURSOS DA INTERNACIONALIZAÇÃO NA UNIVERSIDADE DO PORTO

Coordenação: PEDRO TEIXEIRA

Pedro Teixeira reúne neste livro um amplo conjunto de textos em torno da relevância da internacionalização na U.Porto. O tema é articulado num leque de perspetivas no qual se cruzam a origem e a história da internacionalização da U.Porto, a contextualização europeia e internacional e as estratégias institucionais que modelaram a sua concretização. Nesta obra plural é ainda avaliado o impacto da internacionalização, nomeadamente nas atividades de ensino e investigação, dando atenção às diferenças que o processo assume nas diversas áreas disciplinares. Da sua leitura ressalta uma visão de longo prazo da internacionalização da U.Porto.

Atualmente é fácil associar as palavras 'internacionalização' e 'Universidade do Porto', contudo, nem sempre foi assim. Este livro traz uma perspetiva talvez desconhecida por muitos jovens que hoje se encontram rodeados de colegas estrangeiros. 
Segundo Pedro Teixeira, "embora possamos dizer que o ensino superior teve sempre uma dimensão internacional, este fortalecimento recente é significativo e marca uma diferença com o passado mais recente". Este passado, corresponde a um período de forte envolvimento do Estado nas instituições de ensino superior, que por vários motivos levaram "a generalidade das universidades europeias a tornarem-se um instrumento importante da estrutura do Estado, direcionando a sua atividade, os seus interesses e as suas preocupações para o espaço nacional".
Foi já nas últimas décadas que se começou a assistir a uma alteração significativa desta situação, passando a existir um estímulo à internacionalização. Pedro Teixeira refere que "no caso português, este processo tem algumas especificidades, refletindo os percursos históricos do país e do sistema de ensino superior". 
Assim sendo, neste livro está patente a relevância da internacionalização para a Universidade do Porto ao longo dos 100 anos desta instituição, onde, embora se dê particular atenção aos desenvolvimentos das últimas décadas, se adotou "uma visão de longo prazo, de modo a melhor compreender o caminho percorrido e as realidades e preocupações presentes acerca da internacionalização".
Por tudo isto, esta é uma obra valiosa, para todos os interessados na evolução do ensino superior em Portugal, na região Norte e, concretamente, na cidade do Porto.

Os autores deste livro são: Alberto Amaral (A3ES e CIPES); Amélia Veiga (A3ES e CIPES); António M. Magalhães (FPCEUP e CIPES); Aurora Teixeira (FEP, CEF.UP e OBGEFE); Francisco Miguel Araújo (CITCEM-FLUP); Guy Neave (CIPES); Lúcia Almeida Matos (FBAUP e IHA - FCSH - U. Nova de Lisboa); Luís Alberto Marques Alves (FLUP e CITCEM-FLUP); Maria João Rosa (DEGEI - U. Aveiro e CIPES); Pedro N. Teixeira (FEP e CIPES); Sebastião Feyo de Azevedo (FEUP).

Pode comprar o livro aqui!

02 outubro 2014

MARKETING RESEARCH [Volume II]

Autor: JOSÉ VIDAL OLIVEIRA
Editora: SÍLABO

Este manual possibilita aos seus leitores a compreensão do Marketing Research e a clarificação dos limites de uma investigação, tendo em conta o seu desenho e os procedimentos utilizados.
Para a elaboração deste trabalho, e para além da sua rica e vastíssima experiência profissional, o autor consultou mais de uma dezena de obras de conceituados e reconhecidos autores e a síntese aqui apresentada consiste numa sistematização do que estava disperso, com um estilo próprio, facilitando a sua leitura e interpretação, com a apresentação de muitos exemplos.
 O Manual está organizado em dois volumes: o VOLUME II trata da problemática ligada à análise de dados com aplicação de métodos multivariados, seu fundamento estatístico-matemático, desenvolvimento, interpretação e aplicação, bem como das técnicas especializadas em Marketing Research, quer nos estudos de identificação de problemas, quer nos estudos para a sua resolução.

Apesar das 900 páginas poderem intimidar os leitores, este livro está muito bem estruturado, facilitando assim a consulta. Além disso, o autor teve o cuidado de utilizar uma linguagem que é facilmente apreensível, o que torna o livro mais leve.
No que respeita concretamente à análise de dados, este livro aborda os métodos descritivos e explicativos, métricos e não métricos. Posto isto, seguem-se as técnicas especializadas usadas em marketing research, nos estudos de identificação de problemas e nos estudos para a resolução dos mesmos, onde entre outros, é possível perceber como se elaboram os estudos de hábitos de compra e uso de produtos; estudos de imagem de marcas, empresas e instituições; estudos de satisfação de clientela; segmentação de mercado; estudos de influência do preço; estudos sobre a estrutura da distribuição; o cliente mistério; os estudos de audiência de meios; os estudos de avaliação de efeito e impacto de campanhas, os estudos de opinião e, ainda, as sondagens eleitorais.
Efetivamente, este livro é bastante abrangente e relevante para todos os que estão de alguma forma ligados ao marketing. Essencial, obviamente, para os estudantes desta temática.

Mais detalhes sobre esta obra aqui!

22 setembro 2014

FOTO HDR – Fotografia e Edição de Imagens de Alta Gama Dinâmica

Autor: JOEL SANTOS

Este livro aborda a técnica de HDR (High Dynamic Range), desde os seus fundamentos teóricos, passando pelo registo das fotografias no terreno, até à fase em que estas são combinadas e resultam numa imagem final de alta gama dinâmica. Espera-o um novo mundo de luz e de extraordinárias oportunidades fotográficas.

Este livro, que faz lembrar um álbum fotográfico pelo formato e pelo brilho do papel, foca-se na técnica HDR, a Alta Gama Dinâmica, que é uma ferramenta fotográfica que "quando usada nas situações adequadas, pode resolver problemas ou permitir resultados que, de outra forma, estariam fora do alcance das capacidades nativas de uma câmara fotográfica".
Neste livro o autor explora a obtenção de resultados fotorrealistas. Assim, Joel Santos explica como criar uma imagem HDR bem-sucedida, abordando "a compreensão do conceito de gama dinâmica, as técnicas e definições adequadas para o registo das fotografias no terreno, os passos relevantes na edição preliminar das imagens, a utilização dos programas e das ferramentas consagrados à técnica HDR e, por fim, os cuidados de pós-produção necessários para obter o melhor resultado possível". Tudo isto, acompanhado por imagens e esquemas que permitem ao leitor uma plena absorção dos conteúdos.
Assim sendo, estamos perante uma obra perfeita para todos aqueles que se interessam por fotografia e, concretamente, por esta técnica.

Outras informações sobre este livro aqui!