06 dezembro 2013

RECONHECER-SE ALÉM FRONTEIRAS - ECOFEMINISMO E O PENSAMENTO DE MARIA DE LOURDES PINTASILGO


Autora: ANA CRISTINA ASSIS

Reconhecer-se Além Fronteiras pretende averiguar em que medida o pensamento de Maria Lourdes Pintasilgo pode ser usado como chave para a crítica dos problemas que atualmente envolvem os seres humanos e o mundo natural. Uma linha de pensamento que encontra repercussão no Ecofeminismo, que desde os anos setenta tem vindo a realizar a mesma questionação do quadro conceptual da sociedade ocidental, construído a partir de várias discriminações sociais, na desvalorização da mulher e dos recursos naturais. Estes são pontos de contacto entre estas duas linhas de pensamento: a defesa de um modelo de sociedade assente em relações de interdependência entre seres humanos e natureza, e um desenvolvimento que articule a sustentabilidade da Qualidade de Vida com novos modelos de produção.
Uma questão continua a pairar:
Será a defesa de uma mudança de paradigma, assente numa ética que valoriza o respeito pela diversidade de relações entre seres humanos em equilíbrio dinâmico com a natureza, ainda uma utopia?

Este livro, resultante de uma dissertação de Mestrado de Literatura e Cultura Comparadas, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, pretende incutir no leitor uma reflexão profunda sobre o Ecofeminismo em conformidade com o pensamento de Maria de Lourdes Pintasilgo. Tal como a autora nos explica o ecofeminismo pode interpretar-se na "perspectiva de um movimento, mas também na construção de um suporte teórico e crítico que abrange diferentes sensibilidades, diferentes estratégias de implementação e disseminação, e diferentes perspectivas".
Partindo da relação de subjugação das mulheres e da natureza perante uma sociedade patriarcal e industrializada, a autora procede a uma análise deste fenómeno sob o ponto de vista da sociedade ocidental e da globalização, como conceito utópico.
Este trabalho está dividido em três capítulos, um dos quais dedicado ao movimento ecofeminista, outro ao pensamento e ação de Maria de Lourdes Pintasilgo e o último capítulo explora o surgimento da utopia na literatura ecofeminista, e o utopismo relacionado com a atividade política de Maria de Lourdes Pintasilgo.
A argumentação de Ana Cristina Assis é sólida, sendo sustentada numa minuciosa investigação e na formação técnico-científica da autora e ainda na experiência como engenheira têxtil e como empresária da mesma.

Outras informações sobre o livro aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário