04 julho 2012

A ÚLTIMA PEPITA

Autor: LUCAS FIGUEIREDO
Editora: MARCADOR

Um dos períodos mais fantásticos da história de Portugal, num livro que mostra a incrível saga dos portugueses na corrida ao ouro no Brasil.
«Se pudesse escolher, Sua Majestade Fidelíssima talvez tivesse preferido passar o dia a tocar violoncelo ou a traduzir mais uma peça de Shakespeare para o português, trancado no gabinete real. Disso era o que D. Luís I gostava e fazia de melhor. Mas naquele princípio de fevereiro de 1876, a sua agenda incluía uma tarefa que ele não apreciava e que definitivamente não era a sua especialidade: governar Portugal. A missão estava longe de ser árdua, mas o seu significado era triste. D. Luís deveria vistoriar as joias da Coroa a fim de escolher algumas para serem vendidas.
Na vistoria, Sua Majestade notou um caixote e resolveu ver o que tinha dentro. Descobriu vasos, urnas e conchas e remexendo um pouco mais encontrou uma preciosidade: uma enorme pepita de ouro, do tamanho de um melão.» Esquecida durante décadas nos Tesouros Reais, a pedra retirada de solo brasileiro é o último remanescente de uma época de riqueza incalculável para o velho império lusitano. É com esta cena – insólita mas absolutamente verdadeira – que Lucas Figueiredo inicia esta brilhante investigação histórica.

Esta obra, da autoria do jornalista premiado Lucas Figueiredo, consagra uma investigação que atravessou três continentes (Europa, América do Sul e África). Todo o conteúdo assenta numa estrutura de fontes sólida, como arquivos de documentos, coleções de fontes primárias e acervos históricos, com o complemento de uma extensa bibliografia.
Consequentemente, toda a exposição é marcada pelo detalhe, sendo inúmeros os pormenores que a pesquisa de Lucas Figueiredo permitiu destacar, que em muito contribuem para a fundamentação das conclusões avançadas pelo autor. A leitura do livro é dinâmica e vai muito além da aventura da demanda pelo ouro, uma vez que todos os elementos estão relacionados e vamos lemos simultaneamente sobre o clima económico-político português e a “construção” do Brasil.
Depois de nos aguçar o apetite com a premissa inicial da descoberta da pepita de ouro por D. Luís I, a narrativa arranca em 1495 e estende-se até 1827, sendo segmentada pela Busca, Descoberta, Corrida, Decadência e o Fim, abrangendo a dinastia de Avis, a Filipina e a de Bragança.
Este livro deverá fazer parte das estantes de todos os que gostarem de relacionar a leitura de teor informativo com o entretenimento.


Saiba mais sobre o livro aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário