21 julho 2012

A TRAGÉDIA DE FIDEL CASTRO

Autor: JOÃO CERQUEIRA

Há quase 50 anos, Fidel Castro espantou o mundo com a sua revolução. Mas será que El Comandante perdeu o rumo? Ter-se- á transformado no pior inimigo do seu povo?
A Tragédia de Fidel Castro é um livro simultaneamente divertido e exigente, conduzindo-nos à mente de um dos mais enigmáticos e polémicos líderes do mundo atual. A sátira e o humor inteligente — ora discreto ora descarado — prendem-nos e despertam a reflexão. A narrativa foge a quaisquer regras, propondo-se revelar a intricada mente de Fidel como nenhum outro livro o fez.
Qualquer um ficará surpreendido com os personagens que irá encontrar: Cristo, Afonso Henriques, o Grande Inquisidor, Fátima, Deus e o Diabo... , figuras simbólicas desta tragédia fantástica onde apenas Fidel Castro é real.
Entre as sátiras de Gil Vicente, Ramalho Ortigão e Fialho d’Almeida e a fantasia de Ruben A. Leitão, A Tragédia de Fidel Castro abre uma página nova na literatura portuguesa, na qual se descobre o nosso próprio país.

João Cerqueira rescreveu a História, e fê-lo com grande inspiração!
A trama tem como pano de fundo a ambição imperialista de Cuba, de Fidel Castro, e os seus desígnios de conquistar o reino de Dom Afonso Henriques, onde qualquer semelhança com o Portugal contemporâneo não é a mais pura das coincidências. Dado o mote, esta «Tragédia de Fidel Castro» está repleta de incidentes insólitos - imagine-se o cenário em que El Comandante refugiado num mosteiro isolado em solo português, incita à sublevação dos “loucos” sobre os monges e destes sobre o abade.
A narrativa de João Cerqueira deriva constantemente da ligeireza popular para a densidade intelectual, o que confere ao livro uma cadência anti- aborrecimento. Das características de escrita de João Cerqueira destaca-se, ainda, o engenho em criar trocadilhos inteligentes e um registo de descrição bastante gráfico (a intimidade de El Comandante narrada como nunca antes).
«A Tragédia de Fidel Castro» é portanto uma obra não convencional, desaconselhada a suscetíveis político-religiosos, que garante momentos de leitura com boa disposição.

O autor é licenciado e mestre em História de Arte pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto e especialista na obra do artista plástico José de Guimarães, é ainda autor das obras Arte e Literatura na Guerra Civil de Espanha, A Culpa é destas Liberdades, Reflexões do Diabo e co-autor da biografia Maria Pia: Rainha e Mulher.

Nenhum comentário:

Postar um comentário