01 fevereiro 2012

GERAÇÃO EXTREME

Autora: INÊS TEIXEIRA-BOTELHO
Editora: SÍLABO

Telemóveis. Smartphones. SMS. MMS. BBM. Blackberry. Aplicações. iPhone. Facebook. Amigos de Facebook.  Twitter. Seguidores. Extreme. Há alguns anos atrás estas palavras não eram mais do que ficção científica mas hoje são realidade. São parte do vocabulário e do quotidiano da sociedade.
Contrariamente aos seus pais, tios, avós e professores, os atuais jovens não tiveram que se adaptar às novas tecnologias porque nasceram no meio delas: são nativos digitais. Os seus antecessores, pelo contrário, tal como os emigrantes, tiveram que fazer um esforço árduo para adquirir  conceitos, vocabulário e uma forma de pensamento que não é a sua: são emigrantes digitais.
Linguagens diferentes, formas de relacionamento e estilos de vida distintos, aprendizagens e buscas de informação desiguais fazem da sociedade atual uma torre de Babel habitada por emigrantes e nativos digitais.
Mas quem são os jovens atuais? Como se relacionam entre si e com os outros? Como conseguem criar uma rede social que está a mudar o mundo e têm fraco aproveitamento escolar? Porque é que nunca chegam a horas e não sabem assumir compromissos a longo prazo? Porque é que ambicionam fazer Erasmus, frequentar programas de intercâmbio e estudar noutros países? Porque é que têm amigos e amigos de Facebook? Porque é que se ofendem quando não lhes respondem a uma SMS?
Geração Extreme, escrito por uma nativa digital, com base numa investigação cientifica que desenvolveu sobre o uso do telemóvel, fornece ao leitor elementos que o ajudarão a perceber a juventude atual. De leitura surpreendentemente agradável e fácil esta obra pode (e deve) ser lida por pais, sociólogos, psicólogos, profissionais de marketing, economistas e por todos aqueles que se interessam e querem conhecer o mundo em que vivem.

Fruto da dissertação da autora em Ciências da Comunicação, vertente Novas Tecnologias, avaliada com nota máxima, este livro cria uma simbiose perfeita entre a divulgação de conteúdo académico e uma linguagem informal que imprime dinamismo à leitura.
Apesar de devidamente alicerçada num vasto leque de autores de referência a autora reserva para si o direito de fazer observações precisas, com uma argumentação sólida acompanhada de exemplos práticos bem apurados, que permitem ao leitor mais distante a esta matéria perceber imediatamente o ponto de vista da autora. À medida que o leitor se envolve no livro poderá dar por si a acenar positivamente a cabeça em sinal de concordância com a exposição de Inês Teixeira-Botelho.
Em “Geração Extreme” a comunicação científica é feita com uma naturalidade impressionante e ocupa um lugar de destaque na bibliografia portuguesa sobre este tema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário