30 outubro 2011

RH MAGAZINE [76]

Revista: RH MAGAZINE
Número: 76

A presente edição é maioritariamente dedicada ao uso das novas tecnologias na gestão de recursos humanos. Nesse contexto, João Silva Martins, director-geral da Randstad Technologies, fixou que é essencial que as organizações repensem a utilização das redes sociais. Já Rui Fiolhais, gestor do POPH (Programa Operacional Potencial Humano), reforçou o contributo do programa operacional para a melhoria da qualificação dos portugueses no que respeita às novas tecnologias. 
De destacar o artigo de José Bancaleiro, managing partner da Staton Chase Internacional, que explicou que daqui a alguns anos as metodologias usadas actualmente pelos gestores de recursos humanos estarão obsoletas e mostrou como já é possível descortinar as grandes linhas de tendência que orientarão a evolução da gestão de talentos. Assim, José Bancaleiro falou sobre o TRM (talent relationship management); o e-recruitment & social recruitment; a inventariação interna e segmentação de talentos e, também, sobre a retenção de talentos.
Ainda neste número, leia um artigo bastante esclarecedor, escrito por Rui Pedro Caramez e Ricardo Andorinho (consultores do Let'sTalkGroup), sobre o social media & e-recruitment.
Perceba, também, se o outsourcing é uma ameaça ou uma solução e conheça melhor a Oracle, através de Vítor Rodrigues (country manager da Oracle Portugal) e saiba, por exemplo, que tipo de pessoas é que esta empresa está a contratar.
Se está a considerar optar pelo teletrabalho leia o artigo de Manuel António Mendes, advogado, que esclarece pontos importantes a respeito do direito do trabalho nesta área.

Saiba como ser assinante desta revista aqui!

29 outubro 2011

CLARABOIA

Autor: JOSÉ SARAMAGO
Editora: CAMINHO

«Claraboia é a história de um prédio com seis inquilinos sucessivamente envolvidos num enredo. Acho que o livro não está mal construído. Enfim, é um livro também ingénuo, mas que, tanto quanto me recordo, tem coisas que já têm que ver com o meu modo de ser.» José Saramago

Um romance de época que José Saramago acabou de escrever a 5 de Janeiro de 1953 e assinou com o pseudónimo «Honorato».
Com personagens muito caricatas, quase tão distantes como comuns, cujas vidas privadas se tornam públicas para todos os leitores de CLARABOIA. Capítulo a capítulo entramos em casa de cada um dos inquilinos. Entre eles destacam-se o senhor Silvestre (o sapateiro) e a mulher, dona Mariana, que vivem um casamento feliz;  Abel (o hóspede deste casal); a dona Cândida (mãe de Isaura, uma leitora voraz e de Adriana, que prefere escrever no seu diário) e a dona Amélia (irmã da dona Cândida, que é parca em palavras contudo muito perspicaz); a dona Justina, a doente casada com o boémio Caetano; a dona Rosália, que venera o marido, e o senhor Anselmo, que pensa que controla tudo (pais de Maria Cláudia, uma bela moça de 19 anos); a dona Carmen, mulher do pacato Emílio e mãe do Henriquinho, que se considera uma "disgraciada" e, ainda, a dona Lídia, mulher independente cuja vida causa alguma estranheza nos vizinhos. Seis apartamentos, seis estórias.
Um enredo simples, bem conduzido, que não sendo a melhor obra de Saramago merece todo o respeito.

Pode comprar um exemplar deste livro aqui!

18 outubro 2011

COMPREENDER A ARTE

Autora: DIANA NEWALL
Editora: ESTAMPA

Maravilhosas reproduções de cerca de duzentas obras-primas do clássico ao contemporâneo. Um texto acessível que o vai ajudar a apreciar, perceber e desfrutar a pintura. Quadros que auxiliam a interpretação dos tema-chave e dos assuntos. Grande variedade de referências cruzadas, para facilitar a navegação entre trabalhos, análogos ou contrastantes. Dividido por temas e estilos, e depois cronologicamente, por forma a acompanhar a evolução das ideias. Suficientemente vasto para consistir num curso completo de como compreender a arte, mas simultaneamente susceptível de ser consultado como um guia.

Apreciar a arte é algo intuitivo, cada um vê e interpreta à sua maneira. Contudo, há aspectos fundamentais que nos ajudam a reconhecer o estilo e/ou a técnica utilizada e, assim sendo, a abordar a pintura de uma nova perspectiva, muito mais completa.
"Este livro explora a arte do Renascimento a partir do séc.XV, mas cada capítulo faz também uma breve retrospectiva para esquematizar os precedentes e formas visuais anteriores influentes." Com efeito, entre os nove capítulos deste livro pode perceber como avaliar os seguintes temas e estilos: o nu, o retrato, a pintura religiosa, o mito e alegoria, os temas históricos, a natureza-morta, a paisagem, o género e a pintura desde 1900 até ao presente. Cada capítulo pode ser lido como um todo.
Por sua vez, caso prefira aceder à informação através dos artistas o livro também conta com o índice remissivo que o ajudará nessa matéria.
Se pretende olhar para a pintura de uma forma diferente e mais profunda tem aqui um óptimo auxiliar para esse efeito.

16 outubro 2011

A ARTE DAS BASES DE DADOS

Autor: CARLOS PAMPULIM CALDEIRA
Editora: SÍLABO

O planeamento é a mãe de todo o sucesso.
Uma ideia tão simples que se expressa numa única linha, mas que no entanto não é habitualmente levada a sério.
Ao longo de cerca de um quarto de século dedicado ao ensino e investigação de matérias associadas com o mundo das bases de dados relacionais, tenho-me deparado com inúmeras situações em que a pressa e o desleixo na conceptualização destes sistemas têm conduzido a produtos imaturos, pouco rigorosos, e imediatamente desactualizados desde o seu primeiro dia de funcionamento.
Os resultados provocados nas organizações por esses maus produtos variam entre dois extremos: o completo desinteresse pelo conceito de «base de dados» até ao colapso organizativo e económico da entidade que encomendou uma base de dados e recebeu uma tulha de dados.
O «fazer» uma base de dados é mais do que construir meia dúzia de tabelas num modo ad hoc com a esperança de que a velocidade de desenvolvimento daí resultante consiga impressionar o utilizador final; a construção de uma base de dados é um processo sujeito a normas analíticas e técnicas precisas e bem conhecidas que devem ser seguidas em determinada ordem, desde a etapa de conceptualização até à fase de construção física da base de dados.
Assim como um cirurgião ortopedista segue um determinado procedimento para reparar uma fractura num osso, também o especialista em base de dados tem que obedecer a uma conduta tecnológica de modo a obter um produto final válido tecnicamente, e que devolva à organização um valor acrescentado.
O segredo no sucesso no desenvolvimento de Sistemas de Informação em geral e, em particular em Base de Dados Relacionais, é assim a organização.
O conteúdo deste livro destina-se a «meros mortais» como sejam, por exemplo, gestores ou investigadores e estudantes nas mais variadas áreas da ciência e tecnologia. Os temas são apresentados de uma forma simples, sem a complexidade desnecessária habitual em certos livros de informática, nem a superficialidade existente noutros.

Dificilmente encontramos livros tão oportunos e pertinentes como este trabalho de Carlos Pampulim Caldeira. Nomeadamente porque as bases de dados desempenham um papel fundamental no que hoje tantas vezes designamos por Sociedade da Informação
Em A ARTE DAS BASES DE DADOS o conhecimento é transmitido de forma sucinta mas totalmente eficaz.
Com este livro ficamos a conhecer o fundamental sobre Base de Dados, sendo que este faz uma abordagem ao: Desenho do Modelo de Dados; Desenvolvimento da Aplicação; Exploração da Informação; A Ecologia da Informação e, ainda, Administração da Base de Dados.
Note-se que apesar dos exemplos de aplicação sejam para Oracle e SQL Server as soluções apresentadas são válidas para qualquer sistema de base de gestão de base de dados, seja, comercial ou de livre acesso.
Para todos aqueles que considerem as bases de dados como um forte aliado na tomada de decisões estratégicas este livro é um “must have”.

Carlos Pampulim Caldeira é doutorado em Sistemas de Informação e é pioneiro na utilização de sistemas de bases de dados em Portugal.

13 outubro 2011

INVEST [81]

Revista: INVEST
Número: 81

Sabia que uma empresa portuguesa criou um "Facebook dos negócios"? Trata-se da plataforma Vortal Next que foi criada de modo a favorecer a internacionalização das empresas, facilitando a interacção com mercados desconhecidos.
Além disso, nesta edição da INVEST, são apresentadas embalagens comestíveis, uma inovação mundial em questões de embalagens alimentares levada a cabo pela Universidade do Minho.
Fique ainda a par das vantagens e inconvenientes de diversos equipamentos e sistemas de climatização e descodifique qual a melhor opção para si.
O grande destaque deste número é, sem dúvida, o projecto Smart Rural: "Imagine chegar a casa após um árduo dia de trabalho. Em vez de se sentar no sofá a ver televisão, pega no portátil ou na consola do miúdo para observar, em directo, o curral onde, a essa hora, já estará recolhida a cabra que adquiriu lá na aldeia (...). Aproveita para reservar o alojamento rural preferido da sua família, para aproveitar o passeio de BTT que tem direito no próximo fim-de-semana, isto pela boa performance do caprino em que investiu (...)". Isto e muito mais está a ser planeado na região de Peneda onde, actualmente, se estão a desenvolver vários projectos num laboratório vivo.

Pode assinar esta revista aqui!

10 outubro 2011

O LAGO DOS SONHOS

Autora: KIM EDWARDS
Editora: CIVILIZAÇÃO

Depois de vários anos no estrangeiro, Lucy regressa a casa. Encontrando-se numa encruzilhada na sua vida, sente-se perseguida pela morte misteriosa do pai, que ocorreu há uma década. Certa noite, já tarde, enquanto deambula pela enorme casa familiar na margem de um lago, descobre, escondida no assento de uma janela, uma coleção de objetos que, à primeira vista, parecem simples curiosidades, mas que depressa irão revelar uma complexa história familiar.
As saudades do passado, avivadas pelo reencontro com o seu primeiro grande amor, conduzem-na a situações inesperadas. Lucy descobre e explora os contornos do seu passado. A história da família como ela a conhecia é destruída – e, depois, dramaticamente reconfigurada, animando-a a viver com uma liberdade que ela nunca tinha experimentado antes.

Se leu o livro SEGREDOS DE FAMÍLIA de Kim Edwards com certeza prevê que este livro só pode ser bom. E tem razão, é verdadeiramente bom!
Em O LAGO DOS SONHOS a autora demonstra novamente a mestria na construção de romances onde o passado mexe com o presente.
Ao longo do enredo somos conduzidos por Lucy, uma jovem que regressa à terra natal e se vê envolvida na busca da verdade a respeito uma familiar sobre a qual, até então, ninguém ouvira falar. Para nos aproximar mais da estória, a autora faz descrições detalhadas que põem a nossa imaginação a fluir.
Apreciei particularmente o livro a partir da segunda metade onde tudo se começa a revelar.

Pode comprar o livro aqui!

09 outubro 2011

CÓDIGO DA ESTRADA


Esta edição de bolso inclui, além da versão actualizada do Código da Estrada, a compilação dos mais relevantes Sinais de Trânsito, assim como um conjunto de informações úteis e conselhos práticos para o condutor.
Matérias mais direccionadas aos condutores, como os efeitos da ingestão de álcool na condução ou a revalidação da carta, são complementadas com informações relativas aos veículos, como sejam o documento único automóvel e dicas para um menor consumo de combustível.
De cariz essencialmente prático, esta edição inclui ainda tabelas onde pode inscrever as principais operações de manutenção do seu veículo ou registar as médias de consumo de combustível.

Ideal para quem está a pensar tirar a carta e não só! De facto, tem várias dicas e informações que podem ser úteis para quem já conduz. Por exemplo, pode ler sobre eco-condução e carjacking.
Em duas palavras, este livro é: actual e completo.

Pode comprar o livro aqui!

08 outubro 2011

A EUROPA ERA MESMO ASSIM

Autores: JM e NS

Ao longo desta viagem, é possível acompanhar o ritmo e o batimento cardíaco de dois jovens à descoberta da Europa… Ambos sedentos de novidades, envolvem-se em inúmeras peripécias, reveladoras de toda a inocência e espanto de quem faz pela primeira vez… A cadência de viagem é facilmente absorvida e as circunstâncias levam a situações limite, ilustradas por opiniões simples e sinceras acerca de tudo e todos: os povos, os transportes, os países, o pão, o leite, a roupa, a polícia, os ladrões, a simpatia, a beleza, o cheiro... tudo isto de forma crua e sem filtros...

Não tendo pretensão a ser um “livro” (de acordo com a nota introdutória) e não sendo um livro politicamente correcto, A EUROPA É MESMO ASSIM é, contudo, um relato interessante da vivência de dois jovens que partem em descoberta da Europa. Jovens esses que apenas ficamos a conhecer por JM e NS.

Com efeito, chega mesmo a dar a impressão que estamos a ouvir um amigo próximo contar as mais diversas experiências de uma viagem, tal é a forma descomplexada com que as peripécias são retratadas.
Difícil mesmo é ler cada pedaço deste livro sem desejar fazer as malas e partir rumo à aventura.
Europa, here we go!

Pode encomendar este livro aqui!

03 outubro 2011

EMPREENDEDORISMO E MOTIVAÇÕES EMPRESARIAIS NO ENSINO SUPERIOR

Autores: PEDRO PARREIRA, FRANCISCO COSTA PEREIRA, NUNO VIEIRA E BRITO
Editora: SÍLABO

Será que o empreendedorismo se ensina ou é elemento integrante do perfil genético de cada indivíduo, explicando comportamentos, atitudes e a sua relação com a sociedade, organizações e empresas? Como pode o Ensino Superior contribuir para melhor educar e formar os seus alunos, promovendo o desenvolvimento das suas competências pessoais e científicas no domínio do empreendedorismo? Qual o comportamento e as expectativas dos alunos, ao longo do seu percurso académico e em função do seu género, perfil pessoal e familiar, estatuto, área científica, perante o empreendedorismo e a sua aplicação/inserção na vida profissional? Qual o papel e a recetividade dos concursos de ideias, nomeadamente do Poliempreende e que impacto revelam no desenvolvimento regional e na criação de novas empresas por jovens altamente qualificados?
A presente investigação, que abrangeu mais de 6500 alunos do Ensino Superior, de cariz politécnico, numa dimensão geográfica compreendendo Portugal continental, para além de contribuir para o desvendar de muitas das interrogações previamente elaboradas, permitiu, igualmente, pensar, repensar e elaborar políticas e estratégicas de "educação do empreendedorismo", focadas essencialmente na realidade e contextos presentes e, de forma integrada e precisa, empreender numa proposta de "Agenda do Empreendedorismo para o Ensino Superior".

Em época de crise ouve-se com frequência a palavra "empreendedorismo" e a expressão "jovens licenciados desempregados". Este estudo, muito pertinente, mostra que, de facto, os jovens portugueses são empreendedores pois há um número significativo que se sente capaz que criar a própria empresa e que já possui ideias concretas para a criação de um negócio. Mas estas são apenas breves conclusões, os resultados do estudo são, obviamente, muito mais detalhados.
Com efeito, ao longo deste livro pode recolher informação sobre os resultados sobre o empreendedorismo e o programa Poliemprende; o auto conceito e o empreendedorismo; os traços de personalidade e os motivos empresariais; as influências e os apoios empresariais percepcionados pelos estudantes e as tipologias de empresários nos estudantes (este último ponto divide-se em: estudantes idealistas, estudantes cépticos, estudantes estabelecidos na vida e estudantes desiludidos).
De destacar também os prefácios de Rui Azinhais Nabeiro e João Sobrinho Teixeira.

02 outubro 2011

DUSTIN, O COM-ABRIGO

Autores: STEVE KELLEY & JEFF PARKER
Editora: BIZÂNCIO

Numa idade em que muitos jovens se preparam para dar início à sua carreira, Dustin Kudlick vive ainda com os pais e a irmã mais nova. Aos 23 anos, é solteiro, desempregado, e… qual é o problema? Dustin aguarda que um dos seus múltiplos talentos naturais se revele lucrativo. Será a stand-up comedy? Leva-lo-á a sua destreza ainda-não-concretizada no golfe até ao circuito profissional? Ou, quem sabe, bastar-lhe-á patentear uma das suas invenções e esperar que os direitos comecem a pingar? Entretanto, Dustin é encaminhado para trabalhos temporários na Turbo Temps, uma agência de emprego dirigida por Simone Fontenot, uma empresária que gosta de ter Dustin por perto, fundamentalmente, para o usar como saco de boxe para o seu humor ácido. Talvez um dia Dustin cresça. Até que esse dia chegue, porém, Dustin é uma excelente razão para continuarmos a rir com as suas aventuras!

Um jovem licenciado sem emprego que precisa de ser sustentado pela família é uma situação que, infelizmente, está presente em muitos lares. Muitos chegam mesmo a entrar em depressão, mas não é o caso do Dustin! A vida dele praticamente resume-se a mover-se do sofá para a cama e da cama para o sofá ou a andar de emprego temporário em emprego temporário (este temporário por vezes são apenas algumas horas!). E ele não está preocupado com isso! Já o pai não acha tanta piada embora a mãe relativize o problema.
Uma BD muito divertida, com boas ilustrações, com muito sarcasmo à mistura e com o retrato de uma família que provavelmente não será tão incomum quanto parece!
Este é o volume I de DUSTIN – O COM ABRIGO!

Pode comprar a BD aqui!